Ads Top

Toffoli e Alexandre Moraes amordaçam a imprensa. Que estes aloprados não reclamem da reação de quem não pensa...



O que Alexandre de Moraes fez hoje foi só jogada ensaiada. Desde o começo estava claro que a tal investigação de Dias Toffoli contra "fake news" era só um engodo para blindar o Supremo Tribunal Federal de críticas e denúncias.

Isso ficou claro não só pela acusação dúbia de que "o STF era vítima de ataques orquestrados". Em uma democracia não há nada mais natural que grupos políticos com interesses em desestabilizar grupos considerados rivais que ocupam determinado poder.

Embora algumas posições devam ser questionadas, não há nada de criminoso aí. Quem for mais aloprado e cometer algum crime em sua cruzada deve ser investigado, processado e condenado na forma da lei.

Em um momento de completa crispação política não vemos os aloprados do STF emitindo um único sinal sequer de pacificação e compromisso com a estabilidade institucional do país.

Tudo o que vemos são os setores da corte travando brigas particulares: ali tem o advogado de políticos que usa o cargo para fomentar negócios privados, o que advoga para corporações do judiciário, o calculista que usa o combate a fake news para justificar a censura...

Temos ali até o curioso caso do progressista mais amado pela triste e débil direita brasileira. Um sujeito que se pudesse fecharia o Congresso (cuja inclinação conservadora é motivo de constante lamento por parte do magistrado progressista).

Para sorte do ministro seus fãs têm memória de peixe: eles não se lembram das agressões praticadas contra a contra a democracia, da defesa do aborto, da legalização do aborto... Lembram apenas das frases de efeito em favor da Operação Lava Jato e contra a corrupção.

continua depois da publicidade

O que o senso comum sugere é que um representante de uma casa já tão desacreditada e cuja simples menção já causa ojeriza no pacato cidadão fosse mais prudente em suas ações. Não é o caso dos aloprados de toga que tentam esticar a corda e piorar os próprios índices de rejeição.

Se fosse o caso de Toffoli se defender a respeito da matéria poderia fazê-lo simplesmente instruindo um advogado para acionar a publicação na Justiça. A lógica diz que a opção por esmagar a traqueia dos jornalistas via STF é coisa de quem foi pego com a boca na botija.

Aí é que a dupla de aloprados agiu de forma impensada, tornando ainda mais conhecido o nome de uma publicação ainda estreante no debate público. Aumentaram o interesse em uma matéria que teria passado batida pelo crivo do debate público.

Parece que o vício no autoritarismo turva o julgamento.E que estes dois não reclamem se forem escrachados em aeroportos ou demais locais públicos: eles se esforçaram muito para que o deplorável tomasse forma.

Texto publicado originalmente no Twitter.

Curta o Reacionário no Facebook:


[left-sidebar]
Tecnologia do Blogger.