Ads Top

Molon usa fraquejadas do governo Bolsonaro contra Paulo Guedes



Quando se trata da articulação política do governo Bolsonaro a avaliação de parte do público é que não há negociação política feita em termos éticos, e que o enfrentamento com o Legislativo é necessário. Há também os que dizem que o presidente já foi o suficiente, que basta Paulo Guedes e o parlamento se debruçarem sobre as reformas que elas acontecerão - e que cabe ao presidente se dedicar a assuntos mais urgentes como a luxúria de foliões degenerados no Carnaval. 

Mas a realidade, bem, a realidade é inimiga das narrativas expúrias. Exemplo disso foi a ação do deputado federal Alessandro Molón na sabatina do ministro Paulo Guedes na Comissão de Constituição e Justiça. Molon jogou na cara do ministro que nem o presidente é entusiasta da reforma e que foge dela tal como o diabo corre da cruz. 

continua depois da publicidade

Veja a thread:



Se esta oposição fraca e desorganizada conseguiu fazer uso destes ardis, isso se deve mais a desorganização e amadorismo que imperavam no governo do que aos escassos méritos destes esquerdistas derrotados. Todas as armas que eles utilizam são decorrentes de ações do próprio governo. Em resumo, ninguém até o momento fez uma oposição tão frontal e contundente ao governo Bolsonaro que o próprio governo Bolsonaro.

O que se espera agora é que o governo se rearticule e comece o trabalho sério, como já foi sinalizado pelo próprio presidente e seu entorno sobre as relações com o legislativo. É o que se espera. Sem as reformas tipos como Molon sairão vitoriosos enquanto os mais de doze milhões de desempregados verão as chances de recuperação econômica como uma mera aspiração impossível. E não adiantará nada dizer a eles que a guerra é cultural e não política. Gente faminta não costuma levar estas questões em consideração. 

Curta o Reacionário no Facebook:


[left-sidebar]
Tecnologia do Blogger.