Ads Top

Tarso Genro tenta novo golpe retórico para livrar a cara após confissão do terrorista Battisti



Ex-ministro da Justiça responsável por concessão de asilo ao terrorista italiano Cesare Battisti, o ex-governador petista Tarso Genro aproveitou uma entrevista com a jornalista da Folha Mônica Bergamo para tentar outro golpe retórico: o pai de Luciano Genro declarou que a confissão pode ter sido combinada.

Se ele está falando a verdade e não está fazendo uma confissão para satisfazer o promotor [na Itália] e obter alguma vantagem na execução de sua pena, a extradição está correta

Sim, é isso mesmo: além de acusar um país reconhecido como democrático pela comunidade internacional de perseguir um militante político, o petista Tarso Genro ainda acusa o judiciário deste país de forçar uma confissão.

Battisti pode estar fazendo uma confissão combinada com uma transação com o promotor. Só quem sabe disso é o próprio Battisti. A verdade, neste caso, será sempre uma verdade ficta [suposta, hipotética].

continua depois da publicidade

A questão aqui é de simples resolução: se Tarso tem informações de que Battisti foi coagido, sua obrigação moral é denunciar o caso na Alto Comissariado dos Direitos Humanos da ONU. Também pode pedir ajuda da Anistia Internacional. É de se destacar que nenhum destes organismos contestou o processo de Battisti. Quem diz que foi um processo de exceção foram justamente os sabujos da extrema-esquerda tupiniquim.

Claro que não se espera nenhum ato de grandeza de Tarso e desta laia que passou os últimos anos acusando o judiciário brasileiro de golpe contra Lula e seu Partido dos Trabalhadores. O que Tarso Genro está fazendo é apenas tentar diminuir os danos que a defesa pública e engajada de um assassino causou em sua já putrefata imagem pública.


Tecnologia do Blogger.