Ads Top

"Perseguida por forças ocultas", a embusteira Márcia Tiburi só consegue mesmo ser patética



Em meio a tantos problemas, questões políticas e instabilidade surge do lodo a figura da filósofa Márcia Tiburi anunciando que deixará o país em razão de supostas ameaças contra sua vida. A decisão foi comunicada em entrevista concedida a jornalista Nina Lemos, do portal Universa

Vejamos: Márcia Tiburi diz que recebeu estas ameaças após ter fugido de um debate com Kim Kataguiri na Rádio Guaíba. A entrevista se tornou famosa e a filósofa virou alvo de chacota pública por ser a autora de um livro "Como dialogar com um fascista" e depois fugir da forma mais absurda de um moleque no auge de seus vinte e poucos anos. 

continua depois da publicidade


É preciso deixar bem claro que não há nenhum fato que embase as afirmações da histérica contadora de estórias. Márcia muito provavelmente adotou este discurso para capitalizar em cima do factoide. Por acaso o anúncio vem justo no momento em que a extremista de esquerda está lançando um livro (fato que ela própria deixa claro em sua entrevista e que foi o motivo da conversa com a jornalista Nina Lemos). Claro, ela e seus comparsas dirão que é só coincidência. 

Isto é muito grave. Dizer publicamente que sofre ameaças e que está deixando o país por motivos de segurança é uma das jogadas políticas mais cínicas possíveis. É apostar contra o próprio país, já que este tipo de fato corre o noticiário político estrangeiro. A imagem de um governo que não garante proteção e direitos a oposicionistas é péssima, tanto que é um dos motivos que tornaram o governo de Nícolas Maduro alvo de repulsa internacional. Mentir a este respeito e enxovalhar a reputação do próprio país deveria ser motivo de vergonha, mas para excrescências do naipe de Tiburi é só uma prerrogativa ideológica. 

É claro, Tiburi não conseguiu convencer nem seus pares na extrema-esquerda, que de forma bem clara tratam o assunto com menos paixão e entusiasmo do que no episódio que envolveu o agora ex-deputado federal Jean Wyllys. Ninguém acredita que uma candidata que ficou em sétimo lugar nas eleições do Rio de Janeiro seria alguém que despertasse algo que não a indiferença no grande público. Isso por si só sepulta qualquer outro devaneio da senhora Tiburi, aquela embusteira que tenta emular Jânio Quadros e que consegue ser apenas patética.


Tecnologia do Blogger.