Ads Top

A escaramuça entre Olavo e Santos Cruz se impõe como constrangimento para Bolsonaro



Mais uma vez o noticiário trata de conflitos entre o filósofo Olavo de Carvalho e integrantes do núcleo militar do governo Jair Messias Bolsonaro. Desta vez a discussão se dá entre o guru do governo e o ministro general Santos Cruz, que toca a Secretaria Especial de Comunicação Social do Governo. Questionado pela jornalista Thais Bilenky sobre ataques de Olavo contra os militares que compõe o governo, o general respondeu: "Eu nunca me interessei pelas ideias desse senhor Olavo de Carvalho. Por suas últimas colocações na mídia, com linguajar chulo, com palavrões, inconsequente, o desequilíbrio fica evidente." Em seu Twitter Olavo respondeu que estaria "preparando a resposta carinhosa que o ministro merece". 



continua depois da publicidade

O fato aqui é que esta escaramuça entre um dos representantes do setor militar e o próprio mentor de um dos setores mais barulhentos do governo impõe um constrangimento ao presidente Bolsonaro que infelizmente não pode ser chamado de inédito.

Veja: um ministro se sentiu atacado por alguém que exerce inegável influência em dois dos três filhos do presidente da República, além de dois ministros e uma série de agentes do governo. Alguém que esteve presente em um dos compromissos do presidente em sua recente viagem aos Estados Unidos. Por outro lado, este alguém foi responsável por inaugurar essas guerras infinitas ao mirar sua metralhadora giratória em membros do governo.

Como fica Bolsonaro? Se manter o ministro, terá concordado com Olavo. Por outro lado o presidente se vê diante da obrigação moral de dispensar os supostos golpistas que compõe seu governo. Isto é, se de fato ele levar as sentenças de Olavo em consideração. O que fará Bolsonaro? O constrangimento de ter que agradar a dois senhores começa a ficar cada vez mais insustentável.


Tecnologia do Blogger.