Ads Top


Stalinista Lewandowski quis prender jovem que falou a verdade sobre ele e sua corte de canalhas em avião


Ministro do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski protagonizou um episódio dantesco e nojento em um voo. Um passageiro reconheceu o ministro e fez algumas provocações. Confrontado pelo jovem, Lewandowski ameaça prender o sujeito - que diga-se de passagem, não arregou. Veja os vídeos:





continua depois da publicidade


Ricardo Lewandowski é um sujeito da pior extração, um entulho moral que o criminoso Luis Inácio desovou no STF que constrange os brasileiros. Autoritário até a médula, o jurista que se formou na "rota do frango com polenta" e que só chegou a magistratura pelo quinto constitucional é personagem conhecido por usar os dispositivos do cargo de forma medieval. Quando o movimento Nas Ruas inflou dois bonecos satirizando o ministro e o então procurador-geral da República Rodrigo Janot, a resposta da dupla infame ao ato foi um pedido de investigação na Polícia Federal contra os responsáveis pela sátira

Lewandowski também é o mesmo sujeito que só agora manda prender pessoas que dizem que "O STF é uma vergonha". Claro, o ato do escracho não é algo muito civilizado - seja qual for a autoridade. Mas até que ponto a civilidade se aplica a quem emporcalha as instituições e faz de seu cargo uma trincheira da infâmia, da imoralidade e da podridão?

É claro, o ministro amplia a crise política e violenta a instituição da qual faz parte com estes gestos autoritários. O ministro insufla os ânimos da população com seu vandalismo calculado contra o Estado brasileiro, e responde as consequências de seus atos com truculência dobrada. 

Fica claro que na cadeira de Lewandowski não se senta um homem, mas sim um facínora manietado por um chefe de organização criminosa que cumpre pena na superintendência da Polícia Federal de Curitiba. O que chama atenção no vídeo é justamente isso: um ministro ameaça um cidadão comum como quem ameaça soltar os cachorros em um invasor de propriedade. A ironia é que quem é digno deste tipo de abordagem é justamente a laia do ministro, incluindo o sujeito que o colocou naquela corte. Lewandowski é um stalinista perdido no século XXI. Melhor lançá-lo logo na lata de lixo da história. O ínclito ministro tem que se lembrar que um rato de toga continua sendo um rato mesmo se for tratado pelo título de "Sua Excelência".

Claro, agora está na mesa mais uma obrigação para o novo legislativo: os parlamentares deverão enquadrar o ministro insolente na lei 4898/65, que trata do abuso de autoridade. 
Tecnologia do Blogger.