Ads Top


Mentiroso compulsivo, Haddad havia prometido deixar a vida pública caso perdesse eleição em 2016


Há muito que se diz que o petista Fernando Haddad é um mentiroso compulsivo. Talvez nem seja este o caso, pode ser que seja apenas um embusteiro.

Veja o que ele disse em 2016:


O fato foi publicado na página do blog no Facebook no dia 2 de outubro de 2016 por meio de uma reprodução da versão impressa do jornal O Estado de São Paulo. As declarações de Haddad foram publicadas em matéria assinada pelo jornalista Ricardo Galhardo. Na versão digital o texto pode ser lido aqui.

Poucos dias antes do início formal da campanha pela reeleição um interlocutor perguntou ao prefeito Fernando Haddad se ele cogitava deixar o PT caso perdesse a disputa. A resposta foi desconcertante: “Se perder a eleição não vou deixar o PT, vou deixar a vida pública”.
Para o candidato do PT o resultado das urnas neste domingo pode significar o céu ou o inferno. Se conseguir chegar ao segundo turno, depois de uma campanha acidentada e repleta de obstáculos, Haddad representará a salvação do PT na eleição mais difícil da história de um partido que depois de 13 anos à frente do governo federal vive as sequelas do impeachment da presidente cassada Dilma Rousseff e vê seus principais líderes mergulhados em denúncias de corrupção.

Haddad talvez tenha se esquecido disso, e certamente se defenderá alegando que só concorre a presidência em 2018 para representar o infame Luis Inácio, aquele criminoso que deveria perder o título de presidente por conta da tentativa de golpe que operou com o maior esquema de corrupção da história do Ocidente.

Mas é exatamente este o ponto: Haddad é apenas um lacaio, um capanga de Lula que aceita servir como testa de ferro para o criminoso de São Bernardo.

Haddad não é um homem, Haddad é uma idéia. Uma idéia típica dos covardes, dos embusteiros, dos canalhas.

É por isso que este emasculado moral se sujeita ao papel de servir ao líder de sua seita concorrendo a presidência da República.

O melhor que a história pode fazer é proporcionar para ele uma derrota esmagadora, para humilhar o laranja nas urnas antes que ele se junte ao seu Amado Mestre na prisão.

PS: Notem que na foto que ilustra o texto estão presentes o candidato a vice Gabriel Chalita (PMDB), indicado pelo então vice-presidente Michel Temer para compor a chapa com Haddad. Na época Temer não era golpista. Também está ali o cantor e ex-vereador comunista Netinho de Paula. Notório agressor de mulheres, Netinho nunca incomodou as esquerdas com seu machismo. É claro, também estão ali a comunista e ex-vice de Haddad Nádia Campeão (admiradora da Venezuela que hoje é repudiada nos discursos dos petistas) e Lula, o pai da facção que agora foi escondido das campanhas do fantoche. 

  Curta o Reacionário no Facebook:



[left-sidebar]
Tecnologia do Blogger.