Ads Top


Holiday não falou que KKK era de esquerda assim como Deltan não declarou "não ter provas mas sim convicção"



Desde cedo só se falou na suposta declaração do vereador Fernando Holiday sobre "a Klu Klux Klan ser de esquerda". A fala existe? Não. Tudo o que há é um video que contradiz a tese de que o presidenciável Jair Bolsonaro é semelhante ao grupo supremacista branco norte-americano, que vem sendo explorada pela extrema-esquerda e pela mídia amestrada na vã tentativa de desgastar o candidato que já é o virtual vencedor das eleições de 2018.

O vídeo pode ser visto aqui, na íntegra. A partir daí o leitor poderá tirar suas próprias conclusões. 

Sim, em nenhum momento do vídeo é feita qualquer afirmação atribuindo qualquer posição a KKK que não seja o extremismo de direita. O que é dito ali é que as características que colocam a Klan nesta condição são comuns a grupos extremistas como o próprio Partido dos Trabalhadores. 

Está errado? Não. E qual o motivo da gritaria? Medo.

Esta histeria fabricada nas sarjetas da extrema-esquerda foi feita de modo calculado para gerar uma grande massa de indignação que culminaria na execução sumária do vereador ao final do dia. Nisto houve uma leva de jornalistas como a repórter da BAND Joana Treptow que prefiram ventilar a mentira do que checar os fatos (típico). A intenção era clara: fazer o opositor parecer um tolo movido pela loucura. 

continua depois da publicidade


Não é um expediente novo, já foi utilizado contra o procurador federal Deltan Dallagnol como retaliação ao famoso power point que classificava o ex-presidente Lula como chefe da organização criminosa conhecida como Partido dos Trabalhadores. Na ocasião até os veículos da imprensa tradicional gritaram que Deltan havia afirmado que "Não tinha provas, mas sim convicção". 

Deltan tem lá suas idiossincrasias, tanto que este blogueiro volta e meia critica seu puritanismo. Mas isto passa longe de inventar falas. Foi quando o BuzzFeed esclareceu que tudo não passava de uma fraude de um site petista chamado "Conexão Jornalismo". O G1 e o E-farsas também trataram do episódio.

Mas qual foi efeito prático daquilo? Ainda hoje a extrema-esquerda e os adversários da Operação Lava Jato se escoram na falsa declaração para afirmarem que tudo não passa de uma fraude. Da mesma forma farão com Holiday: esta frase o irá perseguir por muitos anos, servindo sempre como instrumento retórico dos lacaios do petismo que negam os crimes do partido.

Mas no sentido prático, o que aconteceu com Deltan? Nada. Logo a sociedade assimilou que não passava de um embuste, e nenhum analista sério critica Deltan pela fala que ele nunca disse. Sua reputação não foi afetada negativamente pelo episódio. O mesmo acontecerá com Holiday: a frase que ele nunca disse não provocou qualquer efeito em quem comunga das mesmas idéias uma vez que todos sabemos que do outro lado estão os criminosos. A mentira só será perpetuada entre os que sempre comungaram dela.

 Curta o Reacionário no Facebook:



[left-sidebar]
Tecnologia do Blogger.