Ads Top


Gilmar Mendes também não gostou da ação da PF contra campanha irregular do PT em universidades federais




Notícia da Veja:
O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes afirmou nesta sexta-feira, 26, que é preciso “ter cautela” em ações em universidades públicas por conta de manifestações a favor ou contra os candidatos à Presidência da República nas eleições 2018. As declarações de Gilmar foram dadas após uma série de ações da Polícia Federal em instituições de ensino superior pelo país nas últimas 48 horas – foram 17 intervenções em nove estados.
“É preciso lidar com isso com muita cautela para que também não caiamos em algum exagero, alguma exorbitância”, declarou o ministro, após participar de um seminário da Universidade Nove de Julho (Uninove), em São Paulo. “Em geral (as universidades) têm uma ebulição que é positiva, que não necessariamente estão afeitos ao período eleitoral”, completou Gilmar Mendes.
Na terça-feira 23, uma faixa contra o fascismo pendurada no câmpus de Niterói da Universidade Federal Fluminense (UFF) foi retirada por agentes da PF, a pedido do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ). A ação gerou uma manifestação dos estudantes na quarta-feira 24. Eles alegam que a atuação da corporação foi arbitrária e que a faixa, com a inscrição “Direito UFF Antifascistas”, não fazia referência a nenhum candidato.

Gilmar quer "cautela". Ou melhor, quer que as universidades continuem sendo meros aparelhos do petismo. Foi assim que criamos uma massa de militantes que engrossam as fileiras dos partidos da extrema-esquerda. Foi assim que tivemos a tragédia do Museu Nacional. Foi assim que tivemos aquela massa de black blocs. 

Gilmar quer que continue tudo como está, já que a tal "cautela" exigida por ele implica em deixar as esquerdas livres para tomarem o Estado e fazerem dele o que bem entendem - inclusive perseguir e agredir opositores enquanto são sustentados pelo erário público.

Curta o Reacionário no Facebook:



[left-sidebar]
Tecnologia do Blogger.