Ads Top


Dilma humilhada nas urnas após dizer que o golpe seria derrotada no voto. A falsa tese não foi comprada pela população.


O El País destaca a derrota de Dilma Rousseff para o Senado sob um prisma interessante: é a segunda derrota da petista na política. E também a segunda derrota para o mesmo fenômeno: a onda conservadora que parece ter tomado conta do país.

Isso é de fato muito complicado para alguém com a biografia da ex-presidente. Uma mulher tão insistente em suas posições (todas elas erradas), resolveu adotar a tese estapafúrdia do golpe. Um golpe apoiado nas ruas por milhões de brasileiros - incluindo ex-eleitores que se sentiram traídos ou insatisfeitos com os rumos que Dilma deu ao país.

Durante dois anos a extrema-esquerda defendeu a tese do golpe, dizendo que governo se substitui nas urnas. Durante dois anos forçaram a tese de que Dilma foi derrubada por ser mulher, honesta e acima dos interesses políticos mais mesquinhos. No final acabaram refutados pelos fatos, visto que Dilma se provou uma mulher corrupta, mesquinha e dada a diversos conchavos.

continua depois da publicidade


Ficou pior ainda no desafio lançado por ela e seus apoiadores sobre provar sua inocência nas urnas. Durante dois anos desafiaram os brasileiros afirmando que ela seria inocentada pelo voto, assim como queriam fazer com Lula. Mais recentemente Dilma resolveu atacar o MBL após o coordenador de Minas Leonardo Victor pedir a impugnação de sua candidatura ao Senado. Em nota, a presidente cassada fez a seguinte afirmação:

Mais um escondidinho de tucano  

Dilma: "Resolveram, com mãos de gato, usar um testa-de-ferro dos tucanos, um laranja do MBL, para continuar dando seus golpes contra a soberania popular"O esforço dos golpistas de me calar é odioso. Os tucanos não têm a coragem de colocar a cara abertamente e  impugnar minha candidatura ao Senado.Resolveram, com mãos de gato, usar um testa-de-ferro dos tucanos, um laranja do MBL, para continuar dando seus golpes contra a soberania popular.Querem, agora,  impedir que o povo de Minas escolha nas urnas quem representará o estado no Senado da República.Como estão fazendo com Lula, querem me cassar novamente. Mas não adianta.A Justiça deve prevalecer. Os tucanos, que são contra a soberania popular porque sempre perdem quando as urnas falam, não conseguirão nos impedir.Vamos, juntos com Lula, fazer o Brasil Feliz de Novo.Minas e o Brasil querem um país, sem essas artimanhas golpistas, um país democrático, mais justo e menos desigual.Dilma RousseffCandidata ao Senado

Pois é. Dilma disse que queríamos "impugnar a decisão popular". Jamais faríamos isso, já que a decisão popular é inequívoca: os brasileiros decidiram que querem criminosos como Dilma bem longe da política e o mais próximo possível da cadeia.


  Curta o Reacionário no Facebook:

[left-sidebar]




Tecnologia do Blogger.