Ads Top


O vexame de Dimenstein no debate com Kim Kataguiri. Não foi um dia fácil para o ex-jornalista botequeiro



Hoje foi um dia para lavar a alma dos que já foram vítimas da peçonha daquele ex-jornalista e proprietário de botecos na região da Vila Madalena, o senhor Gilberto Dimenstein (que também é proprietário de uma publicação de gosto duvidoso conhecida por Catraca Livre). Dimenstein aceitou participar de um debate no programa Pânico, na Rádio Jovem Pan. Com ninguém menos que Kim Kataguiri. 

Na pauta entraram vários assuntos: fake news, atuação político-partidária por parte da imprensa, impeachment, eleições, economia, cultura... Dimenstein parecia um sabonete, escorregando em todas as ocasiões em que se perguntavam sobre assuntos delicados ou que demonstravam quem era o verdadeiro Dimenstein. 

Temeroso de ser desmascarado como o fascista que é, o dono do Catraca Livre se portou como um grande democrata de orientação liberal. Condenou o PT e a extrema-esquerda, defendeu reformas na economia e a liberdade de expressão. Ainda assim se deu muito mal ao ser confrontado por Kim sobre seus botecos na Vila Madalena, suas fake news contra adversários políticos e sobre o fato de ser contra a prisão de Lula.

continua depois da publicidade



Foi um dia difícil para Dimenstein, que foi simplesmente esmagado nas ondas do rádio. Mesmo sendo um macaco velho da imprensa e muito hábil no discurso, acabou escorregando em diversas ocasiões. Talvez as duas mais marcantes foram as afirmações de que "prefere uma criança tocando um homem nu no museu do que simulando uma arma com as mãos" (ataque direto ao deputado federal Jair Bolsonaro que saiu pela culatra) e quando confrontado sobre a fake news fabricada pro ele acusando Arthur Moledo do Val de ter manipulado as imagens da agressão feita por Ciro Gomes. Dimenstein inflou o peito para repetir a mentira, mas foi informado por Kim o vivo de que todas as imagens foram analisadas pelo renomado perito Ricardo Molina, que atestou em laudo que não havia qualquer possibilidade de edição nas imagens. Dimenstein, que baseou sua fake news em um vídeo da página Time Ciro Gomes, acabou sendo rechaçado ao vivo. Ah, também teve o momento em que Emílio Surita lembrou os ataques do Catraca contra o programa Pânico (entre eles uma matéria comemorando o fim do programa na TV). Foi constrangedor. 

Não foi um dia fácil para aquele ex-jornalista. Provavelmente ele irá encerrar seu dia beijando copos biodegradáveis e abraçando as garrafas de cerveja artesanal naquele seu risca faca vegano na Vila Madalena. 

Veja o vexame de Dimenstein no vídeo abaixo: 




Curta o Reacionário no Facebook:




[left-sidebar]

Tecnologia do Blogger.