Ads Top


O embusteiro Greg esqueceu que chamou o MBL de fake news e usou os mesmos dados para criticar política carcerária


O problema com alguns estelionatários é que se acostumam tanto com o talento nato para a mentira que acabam por cometer erros crassos. Foi o caso do militante de extrema-esquerda Gregório Duvivier, conhecido pela propensão ao cinismo.

Aconteceu o seguinte: no dia 28 de Junho de 2017 , Duvivier resolveu fazer um "fact checking" de um vídeo institucional do Movimento Brasil Livre onde Kim Kataguiri defendia mudanças no Código Penal para diminuir a impunidade - partindo da premissa de que no Brasil o criminoso conta com a ineficiência do Estado e com leis brandas para atuar sem sofrer maiores consequências. Partidário dos criminosos (políticos e comuns), Duvivier rebateu afirmando que as informações eram falsas e que o MBL mais uma vez distorcia os fatos em nome de uma agenda política.

Pois muito que bem: qual não foi a surpresa quando meses depois Duvivier voltou a falar do tema de segurança pública, desta vez citando os mesmos dados mencionados por Kim Kataguiri para reforçar sua crítica ao modelo... Sim, Greg voltou ao local do crime ao mencionar dados que segundo ele próprio, são falsos. É de se supor então que ele mentiu em algum momento: ou quando acusou o MBL de distorcer os fatos ou quando citou os mesmos números para embasar seu ponto. Detalhe: quando Duvivier "refutou" os dados, o fez utilizando a Agência Truco como fonte. Para quem não se lembra, a Truco é a agência de checagem ligada ao jornalista Leonardo Sakamoto, aquela que recebeu um falo gigante do MBL como resposta a uma interpelação. 

Vejam o momento da mentira de Duvivier. Para quem ainda tiver dúvidas, basta checar nos vídeos no Youtube, que não foram editados por este blog ou por quem quer que seja - apenas pela equipe de Duvivier. No vídeo em que acusa o movimento de usar dados falsos, a afirmação mentirosa é dita aos 12minutos e 30 segundos. Na sequência está o vídeo em que ele usa os mesmos dados, aos



continua depois da publicidade


Não sabemos como Greg irá se safar dessa, já que conseguiu atestar para a sociedade brasileira que não passa de um estelionatário intelectual, um sujeito que vende mentiras com o verniz de moderação enquanto abraça extremistas como ele próprio e vende factoides embalados como fact-cheking. Agora Duvivier não nos deixa mais ter dúvidas sobre seu caráter, apenas certezas.

Aliás, este episódio é impar para ilustrar posições já ditas neste blog sobre fact-checking, linhas editoriais e fake news: durante os anos de normalidade democrática, a mídia lidava com as mentiras trazendo os fatos. Não era necessário "fact-checking" ou a demonização de veículos, organizações e pessoas. Isso é uma estratégia adotada por partidários da extrema-esquerda após a derrota de Hillary Clinton em uma eleição que parecia ganha: como sofreram um duro golpe nas urnas, preferiram demonizar a direita com a história das fake news. Munidos com o falso moralismo, saíram a caça de indivíduos para calar o contraditório fingindo se preocupar com a verdade. E quem vai desconfiar de quem diz combater a mentira? Eis Gregório Duvivier nos mostrando o motivo pela qual temos de desconfiar de campanhas salvacionistas. Estes que empreendem campanhas puritanas normalmente não passam de moralistas de prostíbulo que só desejam um alvará para cortarem a garganta de seus adversários.

Curta o Reacionário no Facebook:


[left-sidebar]

Tecnologia do Blogger.