Ads Top

Mentiroso compulsivo, ex-jornalista Gilberto Dimenstein inventa associação de site com MBL para reforçar calúnia contra Arthur do Val


O ex-jornalista e proprietário de bares Gilberto Dimenstein não sabe mais o que fazer para aumentar a ojeriza que seu nome desperta. Em sua cruzada criminosa, o ex-jornalista agora inventou uma associação entre o site Boletim da Liberdade e o Movimento Brasil Livre. 

Na notícia que reforça a suposta manipulação das imagens da agressão de Ciro Gomes contra Arthur Moledo do Val, Dimenstein (ou algum dos seus jagunços do Catraca Livre) escreve o seguinte sobre a propagação da agressão:

Como saiu em todos esses veículos, a notícia se espalhou rapidamente pelas redes sociais, confirmando a visão generalizada ( e verdadeiro) de que Ciro Gomes perde facilmente o controle.
Logo, os sites militantes à direita disseminaram a "notícia". Um deles, ligado ao MBL, o Boletim da Liberdade, ajudou a disseminar a montagem.
Compreensível: Arthur do Val tinha uma "prova". O vídeo mostraria, de fato, um gesto brusco de Ciro Gomes, incompatível com um pessoa equilibrada.

continua depois da publicidade

Notem a falta de caráter: não contente em acusar Arthur e o MBL de terem manipulado as imagens e espalhado fake news sobre o assunto, Dimenstein ainda sugere uma espécie de mecanismo oculto para a propagação da notícia. Sem nenhum escrúpulo, o deplorável botequeiro não se constrange em enlamear a reputação de pessoas honestas que nem em sonhos se misturariam na seara de podridão fomentada por este sujeito lamentável. É o caso de Lucas Berlanza e do Boletim da Liberdade. 

Eu Eric Balbinus conheço o Lucas da militância no Facebook. Lá se vão uns bons seis ou sete anos. Quando o conheci ele já era aluno do curso de graduação em jornalismo da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Dono de reflexões brilhantes acerca do liberalismo clássico e profundo conhecedor da vida e obra de Carlos Lacerda, Berlanza trilhou um caminho muito regular ao papel que desempenha hoje: foi colunista do Instituto Liberal, criou o blog Sentinela Lacerdista, editou o Guia Bibliográfico da Nova Direita (lançado pela Resistência Cultural) e por fim criou o Boletim da Liberdade. Este último foi uma grande sacada: trata-se de um portal de notícias sobre a Direita brasileira em todas as suas vertentes. O site tem conteúdo exclusivo para mais de mil assinantes, e é um exemplo de inovação no meio jornalístico. 

Vou parar de rasgar seda para Berlanza para ressaltar o seguinte: o sujeito nunca foi ligado a movimentos, embora seja militante liberal. Sua relação com o MBL nunca deixou de ser por meio de membros da qual ele desfruta a amizade ou de eventual convergência em pautas em comum. Lucas é tão independente que já fez críticas ao movimento quando achou necessário. Embora não seja crime ser ligado ao MBL (para a infelicidade do botequeiro fascista), a ligação institucional ou profissional do Boletim da Liberdade é algo que só existe no mundo fantasioso do ex-jornalista. 

Dito isso, reforço: Gilberto Dimenstein pratica antijornalismo para destruir o MBL. No texto em que cita a possível atuação criminosa do Boletim da Liberdade no caso Ciro Gomes, Dimenstein reforça a fake news de que sua equipe teria apurado a manipulação no vídeo. Mentira: o Catraca apenas se assenhorou de um vídeo produzido por militantes pró-Ciro, passando a informação falsa de forma intencional para desestabilizar o movimento. Notem o fascismo delirante do botequeiro infame da Vila Madalena: ele simplesmente quer que MBL e Arthur Moledo do Val apanhem de canalhas sem contar com voz alguma em suas defesas. Dimenstein reclama do fato de blogs e sites independentes ou não saírem em defesa do MBL. Nem Goebbels foi tão longe quanto Dimenstein. Gilberto já sabe que será processado, e tenta macaquear afirmando que já foi provada a manipulação. Não é assim que funciona, amigo: agora o senhor deverá provar na justiça que houve a manipulação intencional do vídeo para forjar a agressão. 

Só para lembrar aqui um episódio passado, houve uma acusação do senhor Dimenstein contra o MBL alegando que o movimento financiava uma série de sites e blogs por meio do gabinete do vereador Fernando Holiday. Entre os sites listados estavam desde este Reacionário e Luciano Ayan até O Antagonista, Spotniks e Senso Incomum. Foi uma montagem tão bizarra que um dos sites relacionados era o tal Fofoca News (depois se descobriu que só estava ali porque os administradores reproduziram uma matéria qualquer sobre uma celebridade que fora publicada pelo Jornalivre). Desmascarado, Dimenstein apagou a publicação e não tocou mais no assunto. Com ele funciona assim: primeiro ele desfere a punhalada. Se sangrar sangrou, do contrario ele guarda o punhal e sai assoviando como se nada houvesse acontecido. 

Curta o Reacionário no Facebook:

[left-sidebar]

Tecnologia do Blogger.