Ads Top

Mais um criminoso em defesa de Lula. Desta vez é o o socialista José Sócrates, primeiro-ministro de Portugal preso por corrupção


Por conta do volume de informações, alguns fatos políticos muito relevantes acabam passando fora do radar. Um deles foi o apoio manifesto pelo ex-primeiro-ministro português José Sócrates no Jornal das 8 da TVi Portuguesa. A entrevista se deu no já longínquo 09 de Abril. Mas há um detalhe: o vídeo circula de forma neutra, apresentando Sócrates como um político honesto que repudia a perseguição contra Lula. Os desavisados que não conhecem a ficha criminal do português poderão achar que é um estadista defendendo Lula. Assim como no caso das FARCs e dos ditadores de Cuba e Venezuela, Sócrates é só mais um bandido apoiando um igual. 

Eis a fala de José Sócrates:



continua depois da publicidade

Para quem não conhece a distinta figura, é necessário informar antes de tudo que o sujeito é socialista. Como bom socialista, Sócrates também acredita que golpes financeiros e políticos são fundamentais para o sucesso da agenda pela qual militam. Por isso mesmo o português se complicou em episódios escandalosos em Portugal. 

O primeiro escândalo foi o da Universidade Independente, instituição de ensino privada na qual José Sócrates supostamente se graduou em engenharia civil. Em março de 2007 a mídia portuguesa se debruçou sobre irregularidades na concessão de diplomas pela instituição quando nomes do governo socialista apresentavam credenciais da UI. Entre eles Antonio José Morais e Armando Vara. Verificou-se que os bacharéis suspeitos possuíam várias disciplinas supostamente ministradas por Antonio José Morais, reitor da universidade. As autoridades apuraram que os diplomas irregulares tinham por objetivo turbinar currículos e justificar a nomeação de militantes do partido com falsas credenciais técnicas. A consequência para os envolvidos foi a interdição e fechamento da universidade e um processo por parte do Ministério Público português que considerou nulos os títulos acadêmicos do primeiro-ministro. Antes disso Sócrates já havia provocado polêmica por colocar em seu site a informação de que era engenheiro quando a Ordem dos Engenheiros estabelece que isso só é possível após obtida a qualificação pela referida ordem. Como não poderia deixar de ser, Sócrates se envolveria em outro escândalo ao tentar manipular informações na Wikipédia para apagar o escândalo da Independente de seu currículo. 

Antes mesmo de ser primeiro-ministro, Sócrates já era um sujeito dado a soluções pouco ortodoxas. Um dos escândalos em sua ficha corrida se deu quando ele era o titular do Ministério do Meio Ambiente. A empresa britânica Freeport construiu um gigantesco empreendimento nomeado "shopping Alcochete" nas margens do Rio Tejo em áreas protegidas. Quem dispensou as restrições técnicas para a ocupação do local foi justamente o ministro Sócrates. A dispensa veio após intervenção de Nuno Miguel e Hugo Eduardo Carvalho Monteiro, tio e primo do socialista. As investigações envolveriam ainda outros tios e primos do primeiro-ministro, todos implicados com a Freeport. Mais tarde surgiriam provas robustas como um DVD que se encontra sob posse das autoridades britânicas em que o britânico Charles Smith (o consultor contratado pela Freeport) afirma que "Sócrates was a corrupt". Depois foi o administrador Allan Perkins que afirmou que o português recebeu "200 mil ou 220 mil euros" para viabilizar a licença para a empresa. 

Em 10 de outubro do ano passado, o socialista foi acusado pela procuradoria de ter praticado mais de trinta e um crimes, entre eles corrupção passiva e ativa, lavagem de dinheiro e evasão de divisas. Em um indiciamento de mais de quatro mil páginas emitido após quatro anos acusa Sócrates de protagonismo em um esquema de corrupção envolvendo ex-dirigentes do império bancário Espírito Santo (do empresário Ricardo Salgado) e da Portugal Telecom (de Isabel Santos, filha do ditador angolano José Eduardo do Santos. Ela foi listada pela Forbes como a mulher mais rica da África). Estavam envolvidos ainda Henrique Granadeiro e Zeinal Bava (ex-presidente da Oi). Estas acusações acabaram resultando na prisão domiciliar de José Sócrates em 2014. Ao todo se calcula que Sócrates tenha recebido 24 milhões de euros no esquema.

publicidade



É curioso notar como José Sócrates defende Lula com unhas e dentes. Não é uma defesa de alguém distante, mas sim a apaixonada intercessão por um parceiro, de crimes, no caso. Para quem não sabe, a tal Operação Marques que desmantelou o esquema de corrupção na Portugal Telecom encostou no ex-presidente Lula. O Partido dos Trabalhadores teria recebido 7 milhões de dólares após a fusão entre a Oi (antiga Telemar) e a Portugal Telecom. Além disso, a Polícia de Portugal investiga o possível pagamento de 50 milhões de euros para o partido em Macau - ex-colônia portuguesa localizada no território marítimo chinês. O dinheiro teria sido recebido por José Dirceu (sim, aquele). Tanto que a atuação de Lula é investigada pelo Ministério Público desde o ano passado. Leia abaixo trecho de matéria assinada por Jamil Chade no Estadão, publicada em fevereiro do ano passado.

“A Polícia de Portugal está investigando pessoas próximas ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, bem como ex-governantes e gestores brasileiros e portugueses, num inquérito relacionado ao negócio fechado entre a operadora Oi e a Portugal Telecom (PT) em 2010. (…)
A suspeita é de que pagamentos teriam aberto as portas para que o acordo tivesse a autorização necessária da parte do estado brasileiro e agências reguladoras.
O dinheiro para essa autorização teria vindo de construtoras brasileiras, numa forma de quitar uma dívida que existia entre essas empresas e a Portugal Telecom, avaliado na época em 1,2 bilhão de euros.
O Ministério Público português confirmou ao Estado que existem duas investigações ocorrendo em paralelo e que a cooperação com o MP brasileiro tem sido ‘constante’.
Segundo o jornal, existe a suspeita de ‘pagamentos de várias dezenas de milhões de euros ao universo restrito do ex-presidente da República Lula da Silva, bem como a ex-governantes e gestores brasileiros e portugueses.’
O dinheiro teria vindo de empresas como a construtora Andrade Gutierrez, ‘através de territórios como Angola e Venezuela’. (…)
Segundo o jornal Público, o inquérito afeta ‘a abrangência dos contatos que se estabeleceram entre os círculos próximos do ex-presidente do Brasil Luiz Inácio Lula da Silva e os do ex-primeiro-ministro José Sócrates’. (…)
Segundo a revista Sol, também de Portugal, documentos com anotações ‘Portugal Telecom’ foram encontrados na casa de Luís Oliveira Silva, sócio e irmão de José Dirceu.”

Sim, as defesas apaixonadas que Sócrates faz de Lula - incluindo a adoção da falsa narrativa do golpe contra Dilma Rousseff e o Partido dos Trabalhadores não passa de proteção e apoio a um sócio que se encontra em dificuldades. A operação que Sócrates critica, a Lava Jato, é a mesma que se espraiou até os negócios do submundo tocados por ele. Diga-se de passagem, Sócrates só fala desta forma pois obteve autorização para circular. Tecnicamente o português ainda enfrenta os processos da qual é alvo na justiça, podendo inclusive ser levado ao cárcere de facto. Quando o leitor for novamente surpreendido com vídeos na timeline do Facebook sobre "primeiro-ministro português repudiando perseguição contra Lula", ficará ciente que é só mais um parceiro no crime reclamando da ação da Justiça. Sócrates e Lula são almas gêmeas do totalitarismo. Ambos defenderam a censura da imprensa, aparelharam o estado e praticaram corrupção para perpetuar seus grupos no poder enquanto enfraqueciam a democracia. Ambos também se disseram perseguidos quando foram alvos da Justiça. A justiça não é partidária ou política, quem é partidário e político são os envolvidos nestes esquemas de corrupção.

Curta o Reacionário no Facebook:

[left-sidebar]

Tecnologia do Blogger.