Ads Top


Juíza coloca Perez Esquivel em seu devido lugar ao desautorizar vistoria na prisão de Lula solicitada pelo ativista


O argentino Adolfo Pérez Esquivel resolveu arrogar para si competências institucionais: o ativista enviou uma solicitação para que pudesse não só visitar Lula na carceragem, mas também para vistorias as dependências da Polícia Federal em Curitiba. Um pedido tão ridículo que não restou outra alternativa a juíza juíza Carolina Lebbos, da 12ª Vara Federal de Curitiba (que é a responsável pela custódia do ex-presidente) que não negar o pedido.

continua depois da publicidade
Veja como são os esquerdistas: Pérez Esquivel foi laureado com o prêmio por sua atuação pelos direitos humanos. Claro, não deixou claro a época que ele também era admirador de grandes monstros como Fidel Castro, Hugo Chavez, Nicolás Maduro e o próprio Lula. Enfim. O caso é que ele nem de longe é o ativista dos direitos humanos que fingiu ser. Neste quesito é comparável a embusteira Rigoberta Menchu Tum - que ao menos foi desmentida pelo antropólogo David Stoll.

Diante do exposto, fica a pergunta: quem é Pérez Esquivel para arrogar para si competência institucional em território brasileiro para verificar, inspecionar ou vistoriar o que quer que seja? Ao que se sabe ele não é representante oficial da Organização das Nações Unidas ou de nenhuma instituição oficial e reconhecida, é apenas um militante de extrema-esquerda acostumado a se escorar em ditadores e aspirantes como o próprio Lula. Pode até ser que ele tenha enganado aquela gente bovina que compõe o Comitê Nobel Norueguês, mas certamente não é tão bom ilusionista ao se passar por autoridade no Brasil. Ele até pode visitar Lula, isso provavelmente é permitido. Mas que o faça na fila de domingo, como fazem todos os que vão visitar criminosos em presídios brasileiros.

Curta o Reacionário no Facebook:

[left-sidebar]

Tecnologia do Blogger.