Ads Top

Comunista Flávio Dino reage com cinismo após imprensa descobrir a existência da Gestapo Maranhense


A bizarrice no governo do Maranhão parece não ter mais fim. Ontem se descobriu que o governador comunista Flávio Dino havia emitido ordens para que as polícias do estado espionassem adversários políticos. Sim, a justificativa pura e simples era: se há oposição, se espione. Porque na cabeça abissal de Flávio Dino o exercício da cidadania e direito ao contraditório são crimes. Após o caso ser descoberto pelo jornal O Estado de São Paulo, Dino adotou o cinismo como estratégia: para ele, quem o denuncia ou quem se indigna com a prática fascista é "partidário de Sarney".

O governador tenta se defender com argumentos políticos, como é típico entre os extremistas de esquerda. "Por que tantos ataques desvairados ao nosso governo? 1) Sarney desesperado para voltar ao poder; 2) alguns tentando me intimidar pela crítica que faço à prisão ilegal do presidente Lula. Vamos vencer nas urnas e continuarei a criticar o que acho errado", disse o comunista. 

continua depois da publicidade

Flávio Dino se complica porque o caso certamente deverá ser investigado pelo Ministério Público (ao menos é o que deveria acontecer). O crime praticado pelo governador é praticamente um atentado a Constituição, uma tentativa de violar uma série de direitos e garantias fundamentais consagradas na legislação brasileira e pelos organismos internacionais. Nunca se viu algo tão grave quanto o que foi tentado por este governo e seu bando, e é inacreditável que o sujeito adote a desfaçatez ao tratar do assunto. 

Notem que Dino não responde aos documentos veiculados pelo Estadão e nem ao menos justifica a razão pela qual seu Estado-maior teria tomado a nefasta iniciativa. Simplesmente fala em "fake news" e acusa o coronel José Sarney. Se é é verdade que Sarney representa o feudalismo e o atraso no Maranhão, Dino representa algo ainda pior. Dino representa o bolivarianismo e tudo o que a ele se relaciona, como miséria, truculência e o completo desrespeito ao jogo democrático. Por mais que o governador tente fugir de sua responsabilidade ao imputar as graves denúncias a Sarney, quem desmantelou o AI-5 de Flávio Dino foi o Estadão, um jornal independente e alheio as influências políticas do Maranhão. Que o Ministério Público investigue o governador e o puna de maneira exemplar. Flávio Dino tem que ter ciência de que o Brasil ainda não é uma Venezuela.

Curta o Reacionário no Facebook:


[left-sidebar]

Tecnologia do Blogger.