Ads Top


Kim Kataguiri: A esquerda diz que o Estado é necessário para evitar crises como a de 1929. Será mesmo?

Adicionar legenda

Você já ouviu falar sobre a Crise de 1907?

E sobre o "Pânico de 1907"?

"Sigam o gaiteiro": charge da época satiriza o banqueiro JP Morgan
Essa crise de confiança chegou a derrubar o mercado financeiro americano, colocando bancos e empresas na berlinda. No entanto o que poderia ser um grande cataclismo foi resolvido em pouco mais de um ano graças a iniciativa privada. 


A crise se resolveu basicamente por dois motivos: a falta de um banco central que exercesse interferência estatal e política no banco e a liderança do banqueiro John Pierpont Morgan (fundador da gigante JP Morgan) e George B. Cortelyou, secretário do secretário do Tesouro do presidente Theodore Roosevelt. Ao contrário do outro presidente Roosevelt ( o Franklin, seu sobrinho), Theodore não via a intervenção como solução. Cortelyou idem. Foi o que salvou a América de uma crise que poderia ter sido pior que a de 1929.

Claro, após a crise de 1907 os setores que defendiam a maior interferência do Estado na condução da economia conseguiram prevalecer no debate. Graças a isso nasceu o Federal Reserve System em 1913. Como todos nós sabemos, ele não conseguiu evitar o crash da bolsa em 1929. Ao contrário: a grande interferência estatal conseguiu piorar os efeitos da crise, prolongando o calvário dos americanos. 

É o que explica Kim Kataguiri no vídeo:



Curta O Reacionário no Facebook:

[left-sidebar]


Tecnologia do Blogger.