Ads Top

Matéria da Globolixo sobre fake news não passa de fake news feita por quem de fato entende de vender mentiras como se fosse notícia


Mais uma vez a Rede Globo vai a campo em nome de sua porca agenda política. Na última edição do Fantástico, a emissora prometeu revelar aos brasileiros "o universo das fake news". Já mentiu na premissa, já que toda sua matéria não passava exatamente disso: fake news. 

Segundo a Rede Globo defendeu no Fantástico, as fake news movem o mundo: foram responsáveis pelo impeachment de Dilma Rousseff, pelo repúdio popular contra a corrupção, pela eleição de Donald Trump... A emissora utilizou uma série de mentiras para dizer que combate as fake news, que segundo eles são parte principal de uma estratégia de dominação política. Por muito pouco os editores do Fantástico não defenderam a veracidade do Protocolo dos Sábios de Sião como parte desta estratégia nefasta. 

O problema, como tudo o que vem da Globo, é que o desespero de seus storytellers em produzirem conteúdo panfletário acaba esbarrando em certas sutilezas. Em tempos de democratização da internet, isso tem consequências terríveis. A Globo se ressente, por exemplo, de ter sido alvo da hashtag #Globolixo após apoiar a campanha da extrema-esquerda que rotulava de "fascistas" todos os críticos da exposição Queermuseu e da mostra La Bête, no MAM. A Globo mentiu de maneira tão escancarada que foi desmascarada em seu próprio ninho por uma anônima de nome Dona Regina, personagem que se tornou símbolo do fim do monopólio das virtudes por parte da extrema-esquerda. 

A Globo tentou falar em mentiras propagadas pela imprensa de forma calculada para transformar em monstros todos os que não rezam de acordo com sua cartilha política. Se a intenção da emissora fosse tratar do mundo das notícias falsas, teria citado a mentira contada por Lauro Jardim de que o presidente Michel Temer havia ordenado ao criminoso Joesley Batista que pagasse pelo silêncio de Eduardo Cunha. Quando o áudio foi divulgado, nada do que a Globo anunciou com ares apocalípticos foi encontrado. 

Outra mentira de grandes proporções foi contada por um funcionário da emissora, o jornalista Ilimar Franco. Ele publicou em seu blog no jornal O Globo que "o MBL era um movimento de extrema-direita que ostentava suásticas em manifestações e que saia nas ruas à caça de negros, nordestinos, homossexuais e militantes de esquerda". 

Há outras mentiras históricas, como quando o jornalista André Rizek declarou que o governo federal havia censurado a escola de samba Paraíso do Tuiuti, impedindo o personagem "Vampirão" de utilizar a faixa presidencial no desfile das campeãs. Mais tarde foi desmentido pela própria agremiação, que afirmou que o componente havia perdido o adereço na avenida e que portanto não desfilaria com a faixa novamente. Teve também a jornalista Zileide Silva afirmando que um militante do MBL disparou uma arma de fogo no acampamento do impeachment na frente do Congresso Nacional. Outro episódio vergonhoso foi quando a emissora forjou um post no Twitter como sendo uma postagem de uma canadense chamada Amanda Rose contra Donald Trump. Ou ainda a jornalista Monalisa Perrone mentindo sobre os republicanos e a farsa dos jatos de água jogados em moradores de rua por funcionários da limpeza pública de São Paulo por orientação da gestão João Doria. Quando o apresentador Luciano Huck tentou ser candidato a presidência, a Globo fez o programa Domingão do Faustão de palanque para seu colaborador e depois mentiu dizendo que o programa foi gravado cerca de um mês antes. Esqueceu apenas de combinar com Fausto Silva os detalhes. Sem sombra de dúvidas a pior fake news foi quando a emissora tentou empunhar a bandeira da impunidade com uma matéria sobre um pedófilo condenado que foi aprovado no vestibular fraudando cotas raciais. Segundo a matéria do G1, "preso foi aprovado em primeiro lugar no vestibular de universidade federal". Só isso. Todas as outras informações relevantes foram omitidas. 

A Globo mente todos os dias desde sua criação, mas tem intensificado suas fraudes a medida em que é questionada publicamente. A emissora agoniza no lodo, já que suas farsas são desmontadas dia após dia. Portanto é mais do que natural que a Globo reaja de maneira descarada, é esta a natureza de seus líderes. A emissora que já controlou corações e mentes perdeu espaço para a internet, por isso reaje de forma violenta contra quem desafia seu status quo decadente. 

Curta O Reacionário no Facebook:

[left-sidebar]

Tecnologia do Blogger.