Ads Top


Barroso solta Pizzolato após libertar Dirceu: Mas ele não era um Santo Guerreiro Justiceiro lutando contra o Dragão da Maldade?


O ministro do Supremo Tribunal Federal Luís Roberto Barroso libertou o mensaleiro Henrique Pizzolato, condenado a dez anos de prisão. Barroso disse que o ex-diretor do Banco do Brasil que fugiu para a Itália para fugir da condenação é um homem "de bons antecedentes" e que "que não há registro de cometimento de falta disciplinar de natureza grave ou notícia de que o ex-diretor do Banco do Brasil tenha mau comportamento dentro do sistema penitenciário". Mas ele não era um Santo Guerreiro Justiceiro lutando contra o Dragão da Maldade?

Vamos lembrar que há coisa de alguns dias o mesmo Barroso estava sendo ovacionado pela extrema-esquerda e pela direita burra por "lacrar" em cima de Gilmar Mendes, recentemente envolvido em vários episódios de solturas de acusados de corrupção. Por incrível que pareça, apenas dois casos de soltura determinados por Gilmar merecem críticas: o empresário Jacob Barata (de quem Gilmar foi padrinho) e Adriana Anselmo (sob a pobre justificativa de que ela precisava de cuidar dos filhos menores de idade). 

Mas e Barroso? O sujeito simplesmente foi transformado em herói da República por supostamente "lutar contra a corrupção". Mas como Barroso luta contra a corrupção? Ele o faz enfrentando Gilmar Mendes e consolidando sua aura de justiceiro. Mas que herói é esse que liberta o mensaleiro Pizzolato dizendo que ele "é um homem de bons antecedentes?" Vamos lembrar que o mesmo Barroso soltou José Dirceu concedendo perdão ao homem que ajudou Lula a arquitetar o maior esquema de corrupção da história do Ocidente. Mas para Barroso, Dirceu é um herói. 

É cansativo mas não custa repetir: o golpe retórico mais viável em nossos tempos é vestir a capa de herói contra a corrupção. Idiotas que não tem o que acrescentar, embusteiros que desejam se locupletar da coisa pública e extremistas ávidos por poder estão utilizando deste recurso. Mas se analisarmos friamente, veremos que não passa de fumaça. Imagine alguém que se diga contrário ao homicídio. Ora, homicídio já é crime. E o fato de existirem leis e punições não acabará com a ocorrência. Estes vendilhões do templo estão prometendo algo que não podem e que não pretendem entregar. 

Este tipo de retórica só atraí os histéricos e os que desejam ostentar virtudes. É difícil se posicionar contra Barroso, Molón, Janot, Fux e outras figuras abjetas quando eles estão na crista da onda vendendo suas falácias para almas sedentas por justiça (ou justiçamento?). Difícil é apontar suas contradições e manter o ceticismo. Até porque este discurso costuma ser embasado tanto por gente de boa-fé quanto por outros oportunistas que ganham vendendo a loucura. Como um certo site que grita que "Lula será preso amanhã". Estavam gritando contra Gilmar, mas não gritarão nem um décimo contra Barroso. Barroso é o garoto de estimação que rende títulos sensacionalistas ao portal associado a especuladores. Não dá para dispensá-lo assim. Melhor é vender gritos e histeria. Exemplo disso é o que vemos agora nas discussões sobre os indultos de natal. Oportunistas dizem que o problema do indulto é dar liberdade para corruptos. Quer dizer que conceder indulto para estupradores e assassinos está ok, o problema é soltar quem não cometeu agressão alguma. Ora, quem tem o mínimo de decência será contra a própria existência do indulto e não irá utilizar deste expediente para ostentar virtudes.

A questão não é nem a soltura de Pizzolato e Dirceu, que se tornam fatos irrelevantes diante da sanha legisladora de Barroso. O maior problema deste ministro é que se trata de um golpista que pretende a todo custo usurpar os poderes do Congresso Nacional. Barroso é um progressista tirano, que sabe que um congresso eleito pelo povo brasileiro pode até ser apinhado de corruptos fisiológicos como alguns que compõe o chamado Centrão. Mas que este Congresso jamais aprovará pautas caras aos extremistas de esquerda como liberação total das drogas e o aborto. Por isso que Barroso e tentáculos midiáticos como Globo News, Quebrando o Tabu e até o já mencionado site de fofocas políticas gritam dia e noite em prol de Barroso. É que este sujeito deseja com uma só canetada anular o desejo dos brasileiros e empurrar goela abaixo sua agenda globalista. 

O Brasil pós-impeachment conseguiu se livrar do petismo, mas se deixou envolver por uma onda de jacobinismo que fez com que o país regredisse no processo democrático. Graças à atuação de oportunistas na imprensa, na política, no Judiciário e no Congresso Nacional, nomes do submundo passaram a atuar como cardeais da moral. Isso desencadeou um processo erosivo que conseguiu criminalizar a política e livrar a cara do petismo. Entre os frutos malditos dessa seara estão as possibilidades reais de Lula se eleger presidente. Também tivemos uma conspiração encabeçada por Rodrigo Janot e a desestabilização de uma economia que se recuperava a duras penas do legado dilmista. 

Quem é conservador de fato é cético e se atenta aos detalhes. Observa as nuances e não esquece do currículo de cada personagem. Observa as leis e o papel de cada instituição de modo a resguardar a democracia. Quem é histérico ou oportunista em caça de likes irá dizer qualquer bobagem de momento para conseguir acessos e viralizar conteúdo, pouco se importando se está vendendo mentiras. Estes apóiam Barroso assim como apoiaram o Fora Cunha e o Fora Temer. São todos fariseus. Agora é bom lembrar que os que confiam em tipos como Barroso, Fux, Janot e Fachin "em defesa da moralidade" cometem exatamente o erro do sapo daquela fábula, que resolveu confiar nas boas intenções do escorpião o carregando nas costas de um lado para o outro do lago. A facada nas costas sempre vem, já que isso é próprio da natureza destes monstros morais. 


  Curta O Reacionário no Facebook:

[left-sidebar]

Tecnologia do Blogger.