Ads Top

Ele agora diz defender a liberdade: Com liberais como Duvivier, quem é que precisa de tiranos?


O humorista Gregório Duvivier concedeu uma primorosa entrevista ao jornalista Morris Kachani, do Estadão. Goste ou não de Duvivier, não dá para negar que o sujeito é engenhoso. Leiam algumas pérolas: 

Me considero completamente sensato, a voz do bom senso, em primeiro lugar. Se sou radical em alguma coisa, é no direito à liberdade. Acho lindo ser liberal no sentido americano, onde a liberdade é venerada como um bem supremo inegociável

Não acho que a URSS era de esquerda. O problema da esquerda daqui é o flerte com Venezuela, Cuba, lugares onde a conservação do poder está na mão das mesmas pessoas, onde se criou uma elite. Se é ditadura, não é de esquerda


Duvido que um candidato progressista seja eleito ano que vem. Acho que a gente está entrando sim num ciclo conservador. A classe média enriquece e vira conservadora

Se sou radical em alguma coisa, é no direito à liberdade. Sou a favor de obrigar as pessoas a serem livres. Vou dar um exemplo, sobre ensino religioso nas escolas. O cidadão não deve ter o direito de colocar o filho em uma escola onde se estuda criacionismo. Porque a liberdade é um bem maior que a liberdade religiosa. Se eu quero ser um adulto idiota e criacionista, ok. Mas não a criança. Nesse sentido me alinho com o conceito da liberdade francesa, de restringir para dar liberdade.

Sério, o cara é genial. Questionado sobre a existência do radicalismo de esquerda, ele se faz de sonso: "Se é ditadura não é de esquerda". Mas e o que fazer com as ditaduras que defendem o ideário da esquerda? Aliás, não é a esquerda que sempre aponta para regimes totalitários como modelos de estado? 

Outro ponto forte foi a falsa denúncia dos regimes de Cuba e Venezuela. Mas o próprio Duvivier sempre adula estas tiranias quando ninguém está olhando. Em seus canais ele sempre tenta "desfazer estereótipos equivocados sobre estes governos". Como possui a aparência bovina e o olhar perdido que são típicos dos idiotas, o nada idiota Duvivier tenta se descolar de elogios que ele próprio já fez ao socialismo. Também aproveita para fazer a famosa "passada de pano" para regimes dirigidos por sociopatas. Fica uma sugestão de leitura: uma entrevista concedida pelo sagaz comediante ao portal de esquerda Brasil de Fato. Ali Duvivier defende o regime de Cuba da maneira mais canalha possível. Só não tão canalha quanto esta tentativa de se descolar da ilha presídio dos irmãos Castro. 

O mais surpreendente é quando foi perguntado sobre sua posição, ele diz "ser sensato, defender a liberdade". Mas ele está ao lado de governos tiranos. O Partido dos Trabalhadores não só "flertava com a Venezuela e Cuba", como também apoiava estes regimes e apontava para eles como exemplos a serem seguidos pelo Brasil. Duvivier e parte de sua trupe sempre foram entusiastas tanto do petismo quanto destes regimes carniceiros. E ridicularizavam quem fazia esta associação. Agora o estelionatário tenta se descolar destes regimes ao mesmo tempo em que se coloca como "defensor radical da liberdade", chegando ao ponto de querer "obrigar indivíduos a serem livres". A última de Duvivier é "falar em liberdades" e se associar ao liberalismo. Um liberalismo mutante, que exige mais estado e um partido totalitário controlando tudo. Apenas para "obrigar as pessoas a serem livres", é claro. Bom, apesar da engenhosidade e do talento de dissimulação que são típicos do comunicador, Duvivier escorregou nessa e deixou a mostra seus dentes de totalitário. Não que fosse novidade, é claro. Como disse o amigo João Mauad, com liberais como Duvivier, quem é que precisa de tiranos?

Curta O Reacionário no Facebook:

[left-sidebar]

Tecnologia do Blogger.