Ads Top

Lula começou sua tentativa de turnê sendo humilhado na Bahia


Lula resolveu reeditar em 2017 as caravanas que marcaram sua campanha presidencial em 2002. Para se vender como perseguido político, o chefe da organização criminosa que usa como fachada o Partido dos Trabalhadores resolveu fazer uma turnê pelo Nordeste. Digamos que não saiu conforme o planejado. 

Lula e o Partido dos Trabalhadores queriam vender a imagem de que há um “movimento queremista”, como já aconteceu com ditador fascista Getúlio Vargas. O que houve foi uma militância microscópica seguindo o comboio dos criminosos. E protestos marcados por quem não aceita sequer ouvir que “o Nordeste tem dono”. 

Justamente por este motivo que Lula e sua militância recorreram a práticas de agressão contra os manifestantes democráticos que protestavam contra o andrajoso ex-presidente. Agrediram de maneira covarde a ativista liberal Priscipal Chammas Daú e atacaram de forma animalesca o Pixuleco erguido próximo do estádio da Fonte Nova: rasgaram o boneco inflável a dentadas. Mais uma prova para corroborar a tese de que os petistas estão abaixo até dos cães na escala evolutiva, concorrendo com eles apenas na fidelidade cega a um homem a quem julgam dever até a vida. 

Lula sai humilhado dessa primeira edição do “Volta, Lula”. Só conseguiu mesmo passar vergonha em sua viagem: mostrou que seus tonton macouté gostam de bater em mulher, provou que não tem coragem de circular nas ruas sem a militância (que anda cada vez mais diminuta) e ainda passou vergonha ao ver a Justiça suspendendo um titulo de doutor honoris causa que ele receberia dos pelegos que dirigem a Universidade Federal do Recôncavo Baiano. Quis reagir a decisão provocada pelo vereador Alexandre Aleluia dizendo que “não tinha problema, já que ele Lula não gostava de Alexandre”. Teve que ouvir de Aleluia que o vereador jamais quis ser seu amigo, já que os amigos de Lula costumavam ser presos e condenados por roubarem dinheiro público. Para quem já delirou com a possibilidade de ser diretor geral da ONU, apanhar de um vereador deve ser muito humilhante. Sobre as entrevistas concedidas a amigos da imprensa de coleira, elas serão tratadas em outro post. 

Lula pode mostrar o tamanho de sua militância, que é o que tem garantido certa estabilidade nas intenções de voto. Mas junto com isso revela detalhes incômodos. Aquilo que a extrema-esquerda mais gosta, que é a ignorância, a truculência e a censura - ficam manifestos nestas ocasiões. É como o pai de família que possuí taras inconfessáveis. Por mais que ele aprecie suas preferências, é no mínimo desconfortável que a vila inteira saiba da natureza de suas taras.


  Curta o Reacionário no Facebook:[left-sidebar]

Tecnologia do Blogger.