Ads Top

Aceitar imposições morais da extrema-esquerda é o mesmo que aceitar cobrança de fidelidade de um cônjuge adultero

Conversava mais cedo com um amigo intelectual lá dos lados de Pernambuco, tratando sobre os eventos recentes na política. Comentamos sobre a Síndrome de Estocolmo que se abate sobre alguns brasileiros, que no desespero da crise política andam aceitando até carteiradas da extrema-esquerda. Pois é, o que mais se tem visto por aí é são lacaios daquela máfia totalitária que nos governou por treze anos posando de vestais. Não só isso: eles se vêem no direito de cobrar moralidade e coerência de nós, que lutamos contra o plano criminoso de poder. 

Vejam este movimento 342, formado por artistas que pedem o acolhimento da denúncia contra Michel Temer no plenário da Câmara dos Deputados. Entre eles temos gente boa e de reputação ilibada como Márcio Garcia e Marcelo Serrado dando as mãos a monstros morais como Tico Santa Cruz (que acha que até o racismo é valido contra seus opositores), Letícia Sabatella (que foi até Roma mentir ao Papa sobre o Brasil), Caetano Veloso (aproveitador e apoiador de governos bolivarianos) e até oportunistas como Valesca Popozuda e Anitta, que estão ali apenas pela festa. 

De longe o vídeo que mais chama atenção é o gravado por Tico Santa Cruz. O pelego de tiranos diz sem nenhum constrangimento aparente que “é momento dos brasileiros darem as mãos e esquecerem as diferenças”. Esquecer as diferenças? Tico Santa Cruz nos chamou de golpistas, de bandidos, de criminosos. Tico atacou Fernando Holiday com comentários racistas.   

Temos que lembrar: estes são apoiadores de ditadores carniceiros, de violadores de direitos humanos, de assassinos em massa. Dizem que estes governos são modelos para a humanidade, modelos que devem ser replicados por aqui. Como poderemos esquecer as diferenças? Olhem para o que acontece na Venezuela, na Coreia do Norte, em Cuba, Angola... Abraçaremos aqueles que têm as mãos sujas de sangue? 

Estes mesmos indivíduos querem união porque não são numerosos o suficiente para encherem as ruas. Querem nossa ajuda para cavar a cova onde nos enterrarão vivos. Foi por isto que meu amigo pernambucano cravou: aceitar chantagem moral desta gente é tão incompreensível quanto aceitar cobrança de fidelidade do conjunge que é adultero contumaz. Imagine o sujeito que não só é obrigado a lidar com as infidelidades da mulher. No auge da crise, um dia o infeliz decide chegar mais tarde em casa. Ao chegar vê a Maria Capitolina batendo o pé, argumentando que um homem casado não deve passar as noites no bar enquanto sua esposa está em casa. O absurdo fica mais evidente quando a adultera cobra a fidelidade exaltando os valores do casamento. Sim, é surreal. É bizarro. É exatamente o que está acontecendo no Brasil. Os agentes do bolivarianismo, os lacaios da barbárie, aqueles que emporcalham nossa democracia... São eles que estão cobrando moral do cidadão brasileiro. Resta saber quem é que fará o papel de otário. 

  Curta o Reacionário no Facebook:[left-sidebar]





Tecnologia do Blogger.