Ads Top

O humorista Gustavo Mendes atualizou as definições de traíra ao apoiar a campanha fascista de Maria do Rosário contra Gentili


Todos devem conhecer o humorista Gustavo Mendes, conhecido principalmente por parodiar Dilma Rousseff. O que pouca gente sabe é que o rapaz também é partidário da seita. Mesmo sendo humorista e lidando com as imposições de grupos de poder contra a liberdade de expressão, ele resolveu apoiar as investidas fascistas de Maria do Rosário contra Danilo Gentili. Ah: essa entrevista foi concedida a UNE. 


Notem que o sujeito mente do começo ao fim do vídeo. Principalmente quando diz que "antigamente politicamente incorreto era avançar contra limites de temas, como falar de política". Mais adiante, o sujeito mente descaradamente ao dizer que "politicamente incorreto é ser reacionário, racista, machista". Diz até estar impressionado como esta gente tem espaço da televisão, sendo que "nem audiência tem". 

Ora, todos sabem que ele está mentindo. Ele se entrega principalmente quando diz que Gentili "nem audiência tem. Quando Jo Soares ainda apresentava seu tradicional programa na Globo, era comum Gentili ficar em segundo lugar ou mesmo ultrapassar a Globo na liderança do horário. Ele também mente ao dizer sobre o que é politicamente correto, que nada mais é que o fascismo cultural comungado por grupos totalitários como o Partido dos Trabalhadores que Gustavo defende. Pois é. 

Gustavo é tão medíocre que até cospe no prato onde já se alimentou. Procurem na internet e verão que o mesmo sujeito participou do antigo programa de Danilo Gentili na Band. O humorista que hoje é chamado de racista, machista, homofóbico e doente deu espaço para o sujeito que abraça o fascismo para fustigar um colega de profissão. Olha que em 2010 vários humoristas participaram da Marcha do Humor em Copacabana, protestando contra a lei eleitoral 9.504/97 (que restringe o uso das imagens de candidatos e pune os infratores com multas de até R$ 200 mil). Gentili estava lá. Gustavo estava? Não sabemos. Como alguém que tem vários amigos no meio do humor, sei o quanto estes artistas lutam pelo direito de se expressarem, já que o riso por vezes tem como objeto grupos que estão no poder. Quando se trata de aspirantes a tiranos então, os humoristas de verdade não costumam perdoar. Agora aparece Gustavo Mendes traindo sua classe em nome de sua fé no totalitarismo. Uma classe que é vítima frequente de justiceiros, de políticos corruptos, de demagogos e fascistas. Que vergonha. As definições de traíra foram atualizadas. 

Tecnologia do Blogger.