Ads Top

Responsável por vazar informações para Dilma, Cardozo já foi acusado pelo DCM de vazar informações para jornalista da IstoÉ


Segundo Mônica Moura relatou em sua delação, Dilma Rousseff era informada das movimentações da Operação Lava Jato por meio de José Eduardo Cardozo (então ministro da Justiça). O irônico da história é que o mesmo Cardozo foi acusado por petistas de ser o responsável pelos vazamentos de delações a imprensa. Em um destes episódios, o Diário do Centro do Mundo desceu ao esgoto para acusar a jornalista Débora Bergamasco (da IstoÉ) de ser amante de Cardozo. O ato de vingança machista veio depois de uma excelente reportagem mostrando o conteúdo da delação do ex-senador Delcídio do Amaral. O assunto foi tratado por este blog no antigo endereço na publicação reproduzida ao final deste texto



Cardozo foi tão atacado por permitir vazamentos que chegou a ser substituído do cargo, primeiro por Wellington César Lima e Silva e depois pelo falastrão truculento Eugênio Aragão. Por ser um dos Três Porquinhos de Dilma (era como a própria criminosa se referia aos petistas Cardozo, Antônio Palocci e ao falecido Eduardo Dutra), Cardozo encontrou refúgio na Advogacia Geral da União. 

A questão que se coloca é: como os petistas (incluindo os mercenários do DCM) tinham tanta convicção de que Cardozo era o responsável pelos vazamentos? Agora temos uma resposta objetiva para algo aparentemente surreal: se ele tinha fontes na PF que permitiam que ele vazasse informações para Dilma, logo só ele poderia ser responsável pelos vazamentos na imprensa.




POR VINGANÇA, DCM RECORRE À BAIXARIA CONTRA CARDOZO E JORNALISTA DA ISTOÉ

O jornalista Paulo Nogueira parece não se conformar com a delação de Delcídio Amaral publicada mais cedo na IstoÉ. E como panfleto petista que, resolveu usar o seu portal sujo Diário do Centro do Mundo para atacar a jornalista Deborah Bergamasco, a autora da matéria. Leia abaixo.

O QUE SE FALA EM BRASÍLIA SOBRE OS BASTIDORES DA DELAÇÃO DE DELCÍDIO. POR ANÔNIMO

O mais novo escândalo sexual de Brasília envolve a diretora da IstoÉ em Brasília, Débora Bergamasco, que abandonou o marido, o jornalista Marcelo Moraes, diretor do Estadão, também em Brasília, para ir viver com José Eduardo Cardozo, então ministro da Justiça.
Débora, antes de ser da IstoÉ, passou uma temporada chefiando a assessoria de imprensa do Ministério da Justiça, ironicamente indicada pelo marido, que foi obrigado a tirá-la do Estadão por conta de sua ação errática como repórter.
Na IstoÉ, Débora foi autora de uma entrevista com Cardozo, de quem já era namorada, chamada “A resposta de Cardozo”, feita para isentá-lo das responsabilidades em relação à atuação da PF.
Hoje, Débora Bergamasco publica com exclusividade a delação premiada de Delcídio Amaral, que provavelmente ela já tinha em mãos, graças a sua ligação com Cardozo.
É uma matéria que, apesar de não ter uma única prova que não sejam as falas de, levanta denúncias graves contra Lula e Dilma, e a autora é atual mulher do atual Advogado Geral da União.
Como se vê, o Partido dos Trabalhadores resolveu anunciar sua tropa de sabujos para atacar os que veem como responsáveis pela divulgação da delação de Delcídio Amaral. Como se movem mais pelo ódio do que pelo raciocínio lógico, eles acreditam piamente que Cardozo seria idiota a ponto de vazar uma delação em que ele próprio é citado (leia a matéria da IstoÉ aqui). E como vingança, apelam par a baixaria.
O que podem colher disso tudo é deixar ainda mais claro que há muito mais coisas envolvidas nessa história. Ou ainda, podem fazer com que o ressentido Cardozo perceba que será a próxima vítima da máquina de assassinato de reputações (o que com certeza é melhor do que ser vítima de assassinatos reais, como o do Celso Daniel).
Temos que fazer algumas considerações aqui. Dias atrás foi dito que o ex-presidente Lula estava tendo sua vida pessoal exposta por conta das notícias envolvendo propriedades e enriquecimento ilícito de sua família, além da sombra da amante Rosemary Noronha que ressuscitou. E o que está sendo feito com Cardozo é o que? Longe de mim fazer qualquer defesa de Cardozo, mas fica claro que essa matéria do Diário do Centro do Mundo se trata de um justiçamento midiático.
Notem como são canalhas: normalmente o DCM identifica os autores de seus arremedos de matérias. Desta vez não. O pasquim do partido criminoso de poder solta um texto digitado por um tal “Anônimo”, dizendo que “sobre o que se fala em Brasília sobre a delação de Delcídio”. Como se a relação pessoal da jornalista interessasse à quem quer que seja. Pelo contrário até, se ela vive mesmo com o ex-ministro da Justiça e ainda assim produziu uma matéria dessas, devemos concluir que a moça é antes de tudo uma profissional. Diferente de Paulo Nogueira, que expõe a vida pessoal de uma mulher apenas para manter os pixulecos em dia. Em tempo: convém observar o que os progressistas do Huffington Post, aos coletivos feministas e à jornalistas como Cynara Menezes, Lola Aronovich e Eliane Brum vão comentar a respeito, já que uma mulher teve sua intimidade exposta como vingança política. O próprio DCM publicou um texto indignado  falando sobre o episódio envolvendo a mineira Fabíola, que aparece em um vídeo sendo flagrada em um motel com o melhor amigo do marido. Não é contraditório que o mesmo veículo vá chafurdar na lama expondo assuntos particulares de uma jornalista apenas para retaliar uma matéria? Ou será que só o marido traído da Fabíola que deve respeitar a dignidade da mulher?
 De uma forma ou de outra, o que é palpável é que esses monstros morais não devem continuar à frente do governo brasileiro. Representam o que há de pior no ser humano, um misto de canalhice, fascismo e pscicopatia. Devem ser escorraçados do poder e trancafiados em presídios de segurança máxima, para que não consigam operar sua máfia à distância. São tão perniciosos que alimentam gente com Paulo Nogueira, que vive em Londres e prega o bolivarianismo por aqui.


Tecnologia do Blogger.