Ads Top

Público tem que começar a se indignar com fake News que chama terrorista de "manifestante"


Um sujeito perdeu a mão após a explosão de um artefato que ele iria lançar contra a polícia ou contra qualquer um que ele quisesse. Se fez aquele estrago na mão do cidadão, imagine o que causaria no alvo pretendido (atingindo provavelmente rosto, cabeça ou costas). Por isso não chamo estes fascistas de manifestantes, mas de terroristas. E quem concorda com a prática não passa de um criminoso em potencial. 

Logo, como classificar a imprensa que ainda chama fascistas em marcha por uma agenda criminosa e fascista de "manifestantes"? Não, não é idiotia. Os mesmos saiam a cata de intervencionistas nas manifestações de direita. Houve até um jornalista da Folha que usou uma foto para acusar manifestantes de ostentarem suásticas na Paulista. Após ser esclarecido que a faixa apenas comparava nazismo e comunismo afirmando que são frutos da árvore maldita do totalitarismo, o jornal se calou. 

Não, quem chama de manifestante golpistas raivosos e trata como fascista quem pede democracia o faz com método. Querem colocar no subconsciente coletivo que o primeiro age legitimamente e o segundo é um pária apenas por existir. 

Como fazem isso por método, não há outra alternativa. Não adianta rir e repassar memes demonstrando a prática. Isso tende a ficar na bolha ideológica das redes sociais. O ideal é assinar manifestos de repúdio, telefonar para as emissoras e enviar emails denunciando a linha editorial estelionatária. 

Enquanto vermos este festival de mentiras e apliques passando, nossos filhos aprenderão no futuro que o impeachment apoiado por 78% dos brasileiros era golpe e que o esquema criminoso arquitetado por Lula para permanecer no poder indefinidamente era apenas uma tentativa de estabelecer "o poder popular".

Tecnologia do Blogger.