Ads Top

O curioso caso da canastrona que só fingiu indignação com uma propaganda para disfarçar seu apoio ao plano criminoso de poder


A rede de lojas Marisa aproveitou as bizarras declarações de Lula em seu depoimento ao juiz Sérgio Moro para fazer uma propaganda bem-humorada: se a mãe não ganhasse presente, "a culpa não era da Marisa". A propaganda foi um sucesso, já que o social media conseguiu tratar de forma leve e jocosa sobre um fato que indignou a esmagadora maioria dos brasileiros nesta semana. 

Ocorre que a não muito talentosa atriz e apresentadora Mônica Iozzi decidiu capitalizar com o fato. Notória militante, a extremista do Projaquistão se tornou mais conhecida pelas desastrosas declarações e ilações feitas nas redes sociais do que por algum trabalho relevante que tenha feito. Com o processo do impeachment, a boçalidade da moça se tornou ainda mais evidente. Para validar a tese do golpe valia tudo, desde acusar a força-tarefa da Operação Lava Jato de ilegalidades e violação de direitos até profecias sobre a suposta impunidade de Eduardo Cunha e Aécio Neves. Mônica também não gostou de ver a periferia votando em João Doria, ficou até chateada. Mas isto é outra história. 

O caso é que nesta semana foi destampada a tampa da fossa, o que revelou ainda mais detalhes sobre os crimes praticados por Lula e Dilma Rousseff na presidência da República. Justamente o maior presidente da história e a mulher honesta vítima de um golpe machista de direita (segundo Iozzi, é claro). A coisa ficou especialmente complicada para os que se colocaram nas redes como franco-atiradores destes crápulas. Não que Mônica e seus camaradas sintam vergonha, mas sim pelo fato de que as revelações tornam mais difícil a arte da enganação. 

Mas para quem já está sujo, qualquer coisa vale. A saída desonrosa encontrada por Mônica foi fingir indignação com a propaganda das lojas Marisa. No instagram ela postou o seguinte comentário: 

Não interessa o que Lula disse! Não interessa a interpretação de ninguém sobre o que ele disse. Esqueçam o Lula! Estamos falando sobre uma senhora que sofreu muito antes de morrer. Uma empresa utilizar a imagem de uma pessoa falecida para fazer marketing???? Onde vamos parar? Meu Deus!!! Não há mais respeito a nada no mundo??? Nem à memória de uma mãe, de uma avó? Que nojo. Que tristeza

Querem ver o quanto ela mente? Ela diz não se importar com o que Lula disse ou com o que as pessoas entenderam do depoimento, sugerindo que ele não proferiu as asquerosas ilações contra a própria esposa falecida. Mônica também pede que se esqueça Lula. Como esquecer o maior estelionatário desta terra, o homem que tentou nos roubar a democracia? Pior é quando ela apela para a memória e dignidade de Marisa. Fingindo ignorar que tal só foi conspurcada pelo próprio viúvo. 

Se Mônica estivesse mesmo preocupada com a honra de alguém, teria se indignado com Lula e não com a rede varejista que apenas repercutiu um meme da internet. Mônica apelou para esta pantomima com dois objetivos: aliviar a barra do chefe daquela organização criminosa com aspirações totalitárias e jogar uma nuvem de fumaça para que não se lembre que ela é uma das pessoas que mais repetiram a mentira de que Dilma era uma mulher honesta vítima de um golpe. Aviso para a canastra: não rolou. Não desta vez.

Tecnologia do Blogger.