Ads Top

Esta foto mostra como é um golpe de verdade e porque não devemos aceitar o uso desta palavra para descrever o impeachment



Esta foto correu o mundo, e provavelmente passou pela sua timeline no Facebook ou Twitter. O registro foi feito em Caracas pelo fotógrafo Miguel Gutierrez, da EFE. A simbologia é forte: de um lado membros da Guarda Nacional Bolivariana em trajes que lembram o Robocop. Do outro populares com nada mais que escudos, bandeiras e máscaras de gás. A resistência lembra as antigas batalhas medievais, com escudos improvisados pintados de vermelho e branco. E coragem. 

Este registro é importante para que não percamos a dimensão das coisas. Aqui no Brasil ouvimos falar em golpe desde que o processo do impeachment começou. Ouvimos de maneira bem condescendente na maioria das vezes. Ora tratamos como piada, ora tratamos como choro de perdedor. Mas não é bem assim. Falar em golpe no Brasil é covardia. 

Primeiro porque quem fala em golpe está mentindo, já que se trata de um processo legítimo. Segundo por se tratar de um argumento utilizado por quem apóia governos golpistas em Cuba, Venezuela, Bolívia e Equador. Também apoiavam um governo golpista por aqui, se considerarmos que foram ao menos três eleições com dinheiro do Petrolão. Pior: quem fala em golpe defende o autoritarismo. E ao falara em golpe no Brasil, se diminui a dor dos que são vítimas de um golpe de verdade do outro lado da fronteira. 

É uma vergonha ver um playboy falando em golpe da sala de casa, enquanto posta Fora Temer do iPhone comprado pelos pais. É doentio ver manchetes como "Chay Suede acha que impeachment foi golpe", ou atores financiados por leis de fomento erguendo plaquinhas infames no tapete vermelho em Cannes. Golpe é algo terrível, que deixa para trás sangue, lágrimas e mortos. Olhem a Venezuela. Não é só fome e desemprego, mas também repressão, estupros praticados por militares, assassinatos e prisões políticas. Isso depois de uma censura já consolidada. Hoje mesmo Lilian Tintori tentava falar com o marido que não vê há meses. Leopoldo López pode mesmo ter sido morto pelo regime chavista. E nossos debochados esquerdistas falam em golpe livremente. Golpe se faz com tiro, porrada, bomba, cachorros e tanques contra civis desarmados, gás lacrimogêneo, prisões arbitrárias, desaparecimentos e atentados contra opositores, prisão de jornalistas. Quem fala em golpe no Brasil é canalha, desumano e sociopata que passa por cima do significado desta palavra em nome de uma agenda política totalitária. Essa gente deve ser rechaçada, já que representam a escória da humanidade.


Tecnologia do Blogger.