Ads Top

Se Mainardi estivesse mesmo envolvido com corrupção, seria alvo da solidariedade (e não do ataque) de blogueiros sujos


A acusação feita pelo blogueiro Ricardo Rovai contra o jornalista Diogo Mainardi ainda repercute. Em uma delação, o executivo Henrique Valadares relatou ter visto o editor do Antagonista no restaurante Gero junto com Aécio Neves e Alexandre Accioly. A citação não tem nada demais, Mainardi era um mero figurante. Mas nas mãos sujas de Rovai, o caso virou uma suspeita. Outro notório canalha, Eduardo Guimarães tratou de afirmar que a empresa que desenvolveu o site do Antagonista pertence a um publicitário que já atuou em campanhas de Aécio. De novo, nada contra o Antagonista. Mas fazer catimba com a moral dos outros é sempre bom, segundo o código de ética da extrema-esquerda. 

É claro que o caso ainda vai render. Diogo respondeu indignado, enquanto Rovai retrucou com deboche e ainda mais veneno. O fundamental disso tudo é: como alguém ainda dá moral para um blogueiro sujo? 

O caso é que Rovai não é sequer jornalista, mas sim um militante de redação. Assim como o tal Eduardo Guimarães, que dias atrás foi conduzido sob vara pela Polícia Federal por obstrução a justiça. Só o fato de um acusação partir destas bocas pobres já absolve Mainardi. Mais do que isso, há o fato de que eles sim são partidários de criminosos. São eles que gastam energia defendendo o plano criminoso de poder do Partido dos Trabalhadores, espalhando as narrativas fraudulentas da organização criminosa e conspirando diuturnamente contra a democracia. Afirmo categoricamente: se Diogo fosse criminoso, certamente gozaria de prestígio com estes dois imundos. 

Ver dois leprosos morais tecendo ilações contra alguém como Diogo é o tipo de bizarrice que só se compara a banana comendo o macaco. Pior é ver gente bovina de Direita repercutindo tamanha lorota. Vamos refrescar a memória destas criaturas: goste ou não, Diogo Mainardi passou mais de treze anos denunciando as práticas criminosas do governo petista. Pagou caro por isso, sendo vítima de ataques ignominiáveis como Paulo Henrique Amorim, que zombou da deficiência de seu filho Tito. Já Rovai e Eduardo são dois sabujos, que passaram todos estes anos mamando nas tetas do governo federal. Em troca, defendiam o governo, seus crimes e suas aspirações fascistas. Está claro agora?


Tecnologia do Blogger.