Ads Top

Pare de dizer que a Venezuela é a prova de que "o socialismo não funciona", você parece um retardado



Das conversas que tenho com os amigos Luciano Ayan (do Ceticismo Político) e Roger Roberto (Modo Espartano/Jornalivre), surgem muitas divergências. Sou conservador, um é liberal e o outro libertário. No entanto, a convergência se dá com a amargura que temos quando o assunto é a condescendência de ditos direitistas com a esquerda, em particular com os extremistas mais cínicos. O assunto se torna mais evidente quando olhamos os acontecimentos no inferno bolivariano instaurado na Venezuela. Tão degradante quanto a barbárie do governo de Nicolas Maduro é o ar bovino com que nossa direita insiste em tratar o assunto. 

Ontem por acaso, passou em minha timeline um artigo insinuando que a esquerda "se recusa admitir que errou com a Venezuela". Lendo o comentário, não pude deixar de exclamar um palavrão. Um leigo que fosse vítima daquelas linhas poderia sair com a impressão de que a extrema-esquerda é composta de parvos e incautos que se deixam seduzir por propostas de um paraíso na terra, mas que são sempre enganados por cruéis ditadores que deturpam o significado de uma ideologia que tem seus aspectos bons. É o mesmo que é repetido a exaustão pelos papagaios da imprensa com relação ao Islã. "A Religião da Paz" é deturpada por fundamentalistas que não representam a maioria dos fiéis. Curiosamente, os tais fundamentalistas que deturpam a fé são doutores em teologia que dedicaram a vida ao estudo das escrituras que os tais analistas e jornalistas sequer leram uma linha. Como é o caso do líder do Estado Islâmico, Abu Bakr Al-Baghdadi. O homem que já foi acusado de representar "o falso islamismo" pela jornalista Marina Person quando ela ainda fazia parte do Metrópoles da TV Cultura era um acadêmico e teólogo antes de criar o ISIS. É doutor em Filosofia em estudos islâmicos pela Universidade Islâmica de Bagdá. Marina Person nunca deve ter lido o Corão, mas insiste em repetir que o sujeito prega uma versão incorreta do que ela desconhece. 

O mesmo se passa quando parte da Direita fala da extrema-esquerda. O que é pior neste caso, é que normalmente os direitistas conhecem muito bem o socialismo e como ele opera. Qualquer um direitista pode citar de cor os exemplos de países que sucumbiram a essa ideologia, as estatísticas macabras de mortos em guerras, repressão e fome, economias pujantes que ficaram em ruínas e tiranos que se diziam pais dos pobres. Parece que se trata de uma história só onde se mudam apenas os personagens e o ambiente. O que não serve para mostrar aos tolos que eles sabem muito bem o que estão fazendo. O Ayan chama o fenômeno de "fé cega na crença", que é quando indivíduos preferem acreditar nas intenções verbalizadas em detrimento da realidade (leia mais sobre o assunto aqui e aqui). Eu diria que o caso é de Síndrome de Estocolmo, ou mesmo de pura emasculação por parte de quem assim se comporta. Notem que não há reciprocidade aqui: quando Jair Bolsonaro elogiou o coronel Alberto Brilhante Ustra, foi tratado como pária. Inclusive por alguns direitistas que dizem que a esquerda "não admite que errou com Maduro". Falando como alguém que criticou a fala de Bolsonaro, devo lembrar que ele nunca contou com a mesma compreensão concedida aos radicais vermelhos.

No caso em tela, a esquerda "não sabe lidar com o erro que foi apoiar a Venezuela". Por incrível que pareça, seus líderes e militantes continuam apoiando regimes sanguinários e disfarçando tiranias com eufemismos como "governo popular", "república solidária" e outras variantes completamente falsas. Continuam apoiando Cuba, Coreia do Norte, China, Angola e Venezuela, além de lembrarem com orgulho do legado de sangue da União Soviética. Uma das blogueiras enganadas é Cynara Menezes, que decora seu blog com a estética fria do stalinismo. O PCdoB ainda celebra a Revolução Russa e assina manifestos de solidariedade ao ditador Kim Jong-Un, O PSOL apóia Maduro e chora por Fidel Castro, junto com o Levante, UNE, Juntos e UJS. A Carta Capital homenageia Mao Zedong, junto com os professores do núcleo clandestino do PSOL no Colégio Dom Pedro. O PT fez o gesto mais grandioso, que foi bancar todos estes regimes com dinheiro espoliado do contribuinte brasileiro. Pior: no momento em que estes direitistas frouxos passam pano na cumplicidade e colaboração da esquerda tupiniquim com os bolivarianos, parlamentares do PT, PSOL e PCdoB gravaram um vídeo em solidariedade ao ditador Maduro.

Será que estão todos enganados?

Não, todos sabem do que se trata o socialismo. Quando deixam de tocar no assunto ou fingem repúdio aos atos de truculência mais escancarados, estão apenas disfarçando para que o golpe não se torne muito manjado. Mesmo tão cínicos, continuam enganando os idiotas da Direita que insistem em mitificar a ignorância dos cúmplices de genocidas. O direitista que reivindica inocência para quem defende estes açougueiros é semelhante ao marido que chega mais cedo em casa e flagra a mulher praticando uma orgia no sofá caro que ele pagou em várias prestações. Indignado, o sujeito diz que todos os homens que estavam com sua mulher "abusaram da inocência" de sua boa esposa. "Ela não queria", dirá o marido compreensivo. Até um dia em que ele chegará mais cedo de casa para um novo flagrante, onde o traído chegará a brilhante conclusão de que o problema em seu casamento é o sofá que estimula o adultério. 

A comparação é forte, chega a ser chula. Mas é necessária. O que se vê na Direita são indivíduos completamente bovinos, beirando o masoquismo. Mesmo debulhados em debates, mesmo agredidos em universidades, mesmo censurados nas redes e vítimas de perseguição em toda parte, mesmo vendo o chicote dos regimes vermelhos estalando nas carnes de inocentes mundo afora, eles insistem na versão do socialista ingênuo. O pior é que afirmam essas coisas com ares de entendidos. "Nossa, como aquele ditador é burro. Será que ele não percebeu que a estatização das fábricas tornará a produção inviável no longo prazo?" "Meu São Rothbard, não é que aquele político disse que a receita para sair da crise é aumentar os gastos públicos com infraestrutura para estimular a economia! Ah que bom seria, se o socialista entendesse economia". O que o pateta não assimilou ainda é que o socialista entende sim de economia, tanto que adotam medidas consideradas liberais em situações pontuais. No entanto, preservam o discurso e as práticas que ao mesmo tempo enganam o povo com soluções fáceis e que proporcionam controle social. Enquanto o pateta carrega o discurso no economicismo blasé, o socialista quebra a economia e aperta o coturno na garganta do povo. 

Se algum destes gênios da raça ler este texto, provavelmente irá se enfurecer o autor raivoso que debocha de sua postura de menino criado a leite com pêra (já que ele acha impossível a hipótese de alguém quebrar uma economia de propósito, como Dilma Rousseff fez com o Brasil em 2014). Fica a pergunta: Fidel Castro derrotou Fulgêncio Batista em um período particularmente próspero para a ilha. De parque de diversões dos americanos, o lugar se transformou em um presídio dirigido por psicopatas. A economia se deteriorou ao mesmo tempo em que a ditadura se consolidou. Passados mais de cinquenta anos, a extrema-esquerda tem Cuba como seu principal case de sucesso. A fórmula da Venezuela é a mesma: falta papel higiênico, comida, remédios, petróleo e democracia. Sobram carnes e dólares para os abastados líderes do regime, bem como bombas de gás lacrimogêneo, balas e cacetes para que a Guarda Bolivariana reprima os cidadãos desesperados. Diante destes fatos, será que nossos doutos direitistas (devo dizer, principalmente liberais e libertários) continuarão culpando o sofá? Só recomendo que parem de dizer este tipo de coisas, vocês parecem retardados. Tenho certeza que até os esquerdistas devem rir de vocês por isso. 

Tecnologia do Blogger.