Ads Top

Com a morte de David Rockefeller, as causas da extrema-esquerda perdem um de seus maiores financiadores



Hoje faleceu David Rockefeller em Nova York, aos 101 anos. Único neto sobrevivente de John D. Rockefeller, David usou os negócios que herdou de seu avô para fomentar causas sociais progressistas e grupos políticos ao redor do mundo. Grupos específicos, de matriz globalista. 

David dedicou toda sua vida para desgastar valores basilares da civilização ocidental, usando  os negócios que herdou de seu avô para financiar este projeto infame. Muito de nossa decadência é obra deste homem, que irrigou extremistas com a fortuna obtida de maneira brilhante por seu ilustre antepassado. Não poderia ter levado uma vida mais asquerosa. 

Hoje a extrema-esquerda perdeu um grande financiador. Mas outros ainda estão firmes e fortes, empregando as fortunas da especulação para fortalecer quem nos quer de joelhos. A Fundação Ford, a Open Society de George Soros e tantos outros grupos que militam por interesses escusos, interesses tão podres que só podem tomar corpo em uma sociedade comandada por quem detesta a democracia e liberdade. Não por acaso, lutaram contra o Brexit, contra o impeachment de Dilma Rousseff, pelo desarmamento, por Hillary Clinton, pela censura de portais e blogs independentes nas redes sociais, pela anistia as Farc na Colômbia e agora, se movem pela eleição de Emmanuel Macron na França. David se foi, mas deixou muitos por aqui perpetuando sua obra suja. A luta continua.  

Vale a leitura do artigo de Alexandre Borges em seu blog. Como sempre, Alexandre resume bem o sentimento de quem tem a dimensão da perfídia deste senhor. Escreve ele: 

Sinto uma incontrolável "schadenfreude" ao lembrar que David Rockefeller viveu para presenciar a vitória de Donald Trump.


Tecnologia do Blogger.