Ads Top

BuzzFeed, o caça cliques que emporcalha o jornalismo ao redor do mundo


Hoje li um texto risível no BuzzFeed, assinado por Tatiana Farah. Segundo ela, o vereador Fernando Holiday fez uso de caixa dois para pagar colaboradores em sua campanha. Denúncia grave. A jornalista só entra em contradição quando mostra na mesma matéria que houve declaração a Justiça Eleitoral (como requer a lei). Sendo assim, o vereador do MBL seria o corrupto mais burro do mundo: o que faz caixa dois e declara o valor. Cômico. E deplorável, ao mesmo tempo. 

É claro, a "notícia" viralizou. Tatiana Farah conseguiu encaixar um arm lock ao emplacar um factoide nos trending topics do Twitter. Bravo! Mostrou que tem todos os requisitos para escrever no BuzzFeed, já descrito em uma conferência da Casa Branca como "pedaço de lixo". Tatiana, que tempos atrás fazia parte da equipe de O Globo, conseguiu a proeza de ser mais partidária que o asqueroso Ilimar Franco. Demitida, sua "competência" a levou ao glorioso BuzzFeed (imaginem o pai chorando no chuveiro). 

Bom, recordo de ter comentado aqui sobre a baixaria do BuzzFeed quando eles relacionaram o Sul Connection em uma suposta lista de propagadores de notícias falsas. A óbvia mentira logo foi desmascarada, e o portal se retratou da forma mais covarde possível, afirmando que "houve um engano". Denunciei aqui no Reacionário e em meu texto de estréia no mesmo Sul Connection atacado por eles que tudo não passa de uma rasteira para desqualificar o jornalismo alternativo (Tenho uma coluna por lá que esteve parada até semana passada. Volto na sexta-feira). Em resumo, viralizaram uma fake news usando o argumento de combater fake news. Não conseguiriam ser mais sujos nem que tentassem. 

As suspeitas sobre o BuzzFeed se transformando em certezas com o passar do tempo. Vejam só: o portal publicou diversas notícias mentirosas sobre a política nacional, o que dava a impressão de que eram erros pontuais de colaboradores locais. Mas daí lançaram uma matéria sobre um suposto dossiê russo sobre o então presidente eleito Donald Trump. O alarido foi grande: diziam ali que o Orange Man odeia tanto Barack Obama que fez questão de se hospedar no mesmo quarto que ele em um hotel de Moscou. Devidamente instalado, contratou duas prostitutas para que urinassem na cama onde o democrata e sua esposa haviam se deitado. Essa fantasia era uma mentira plantada no 4Chan, e só tomou relevo graças ao BuzzFeed. Foi quando Trump os chamou de pedaço de lixo

Trump deveria ter sido mais específico: lixo, até onde se sabe, pode ser reciclado. E o BuzzFeed? Ou fazem listas bobas explorando todo tipo de bait para caçar cliques, ou fazem esse tipo de estelionato retórico travestido de jornalismo. Como máquina de factoides que é, a função do BuzzFeed é justamente produzir carniça para alimentar os abutres dos veículos maiores. Olhando mais atentamente, fica claro que o lance do BuzzFeed é mesmo este: emporcalhar o jornalismo com suas ilações. 


Curta O Reacionário no Facebook:

[left-sidebar]
Tecnologia do Blogger.