Ads Top

Acidentes de trânsito fatais caem 30% no mês de janeiro. Onde estão os especialistas?



Notícia da Veja São Paulo:

Acidentes de trânsito fatais caem 30% no mês de janeiro

Em janeiro de 2017, foram contabilizadas 60 mortes contra 86 em dezembro de 2016, de acordo com dados do Movimento Paulista de Segurança no Trânsito

O número de acidentes de trânsito fatais ao longo do mês de janeiro caiu 30% na capital em relação a dezembro de 2016. No primeiro mês de 2017, foram contabilizadas 60 mortes contra 86 no mês anterior , de acordo com dados do Movimento Paulista de Segurança no Trânsito, o Infosiga, elaborado pelo governo estadual. A queda foi de 25% na comparação com janeiro de 2016, quando foram registrados 81 óbitos.
Em janeiro deste ano, os atropelamentos foram as principais causas de mortes no trânsito e representaram 40% das ocorrências, ou 24 casos. Os acidentes com motocicletas aparecem em segundo lugar com 35% das mortes.
Um atropelamento fatal e uma morte de motociclista foram registradas nas marginais Pinheiros e Tietê, respectivamente. No fim de janeiro, a gestão Doria determinou o aumento no limite de velocidade nas marginais para 90 km/h na pista expressa, 70 km/h na pista central e para 60 km/h na pista local, com exceção da faixa da esquerda, que manteve o limite de 50 km/h.  Em dezembro de 2016, foram registradas seis mortes de trânsito nas marginais: dois pedestres morreram na Pinheiros e quatro motociclistas também perderam a vida nas duas vias. A comparação com janeiro do ano anterior não foi possível porque o Infosiga disponibiliza os dados de acordo com o endereço das ocorrências somente a partir de setembro.
De acordo com a Companhia de Engenharia de Tráfico (CET), em 2016 houve redução de 54% no número de mortes por acidente de trânsito nas Marginais do Tietê e do Pinheiros em comparação com o ano anterior. Segundo o secretário municipal de Transportes, Sergio Avelleda, ao longo do ano passado 21 pessoas morreram em acidentes de trânsito nas duas Marginais, contra 46 ocorrências em 2015. O total de acidentes com vítimas também caiu de 740 para 460 no mesmo período.
Eis o trabalho dos especialistas, já desmantelado neste vídeo pelo próprio prefeito João Doria. "Não sirvo especialista".

 

Fica claro que aquele cenário catastrófico de mortes por atropelamentos nas marginais e aumento no número de acidentes não se confirmou. Também fica claro que aqueles "especialistas" escolhidos a dedo por jornalistas para dizerem o que os militantes de redação queriam não conseguiram "prever" muita coisa. Tudo não passava de um embuste, uma fraude intelectual para defender um dos maiores legados do ex-prefeito Fernando Haddad para a cidade: a indústria da multa.  Ah, a palavra mais correta não é "especialista", mas sim "propagandista".

Afinal de contas, são todos fake news.
[left-sidebar]
Tecnologia do Blogger.