Ads Top

A conservadora Theresa May ensina como debater com a extrema-esquerda



Hoje foi um dia histórico no Parlamento inglês. Além de terem decidido iniciar o Brexit, frustrando o lobby globalista que pretendia dar as costas ao desejo majoritário dos britânicos que querem a saída do Reino Unido da União Européia, houve um confronto entre a primeira-ministra conservadora Theresa May e líder da oposição trabalhista Jeremy Corbyn que lembrou os bons tempos de Margaret Thatcher no comando do país. 

Corbyn seguiu a onda da extrema-esquerda que fez uma petição contra a visita de Donald Trump ao Reino Unido. Repetindo várias mentiras conhecidas, Corbyn ironizou sobre quando a primeira-ministra ouviria aos 1.8 milhões que assinaram a petição contra Trump. Theresa aproveitou a chance para dar nos dedos do radical de esquerda. O vídeo é dos Tradutores de Direita



Theresa foi elegante, e até comedida na resposta. Se quisesse, poderia lembrar ao líder da extrema-esquerda que ele não se manifestou contra a visita de ditadores ao país, nem ele nem os 1.8 milhões que assinaram a petição (parte deles sequer é cidadão britânico). Theresa deixou de lado o murismo para apelar ao confronto ideológico, coisa que muitos opositores da extrema-esquerda não fazem. Esse confronto lembrou esta cena memorável do Parlamento inglês, que parece voltar aos seus bons tempos. 



Quando se trata desses radicais, todas as cartas devem ser colocadas na mesa. Eles não se importam com os pobres, com as minorias, com os Direitos Humanos. Eles se importam apenas com sua agenda criminosa de poder. O próprio Jeremy Corbyn hoje chora contra Trump e o acusa de ser um inimigo da democracia, mas há alguns meses atrás estava lamentando a morte de Fidel Castro. 

*P.S: A maior prova de que as duas estão corretas é o fato de que nenhuma feminista dirá que Thatcher ou May são representantes de igualdade e de conquista para as mulheres, mesmo sendo representantes de força e coragem. Feministas não se importa com os direitos das mulheres, mas sim em espalhar o discurso de ódio e estelionato da extrema-esquerda.




Tecnologia do Blogger.