Ads Top

Fake News? CNN usa imagens do game Fallout 4 para insinuar que hackers russos interferiram nas eleições americanas



O teatro democrata segue, com conotações cada vez mais vis e patéticas. Depois de Barack Obama ter sido humilhado pelo improvável Vladimir Putin em sua tentativa de deslegitimar a vitória de Donald Trump, agora foi a CNN que se rastejou na lama ao insinuar que a vitória do republicano se deve a ação não comprovada de hackers russos. 

Ao comentar as sanções diplomáticas do presidente demissionário contra Moscou, a CNN usou uma captura de tela do game Fallout 4 recortada, como se aqueles números e letras aleatórios na tela retratassem alguma prova da ação dos russos. Usuários do Reddit perceberam o embuste, que entra para a história como um dos maiores vexames da TV americana.



Algumas fontes ligadas a emissora chegaram a dizer que pretendiam apenas "ilustrar" o trabalho desses supostos hackers. Ocorre que a emissora tem um grande histórico de colaboração com os democratas, incluindo até fraude: nestas eleições, uma executiva da emissora ligada ao Comitê Nacional Democrata passou as perguntas daquele primeiro debate para Hillary Clinton dias antes do confronto com Trump. Ciente do que seria perguntado, Hillary levou o republicano a lona. 

As acusações de hacking pró-Trump por parte dos russos nunca foi provada, nem sequer houve uma tentativa séria por parte do governo americano ou das autoridades da Justiça de se investigar uma história que reúne todos os elementos de hoax. Caso houvesse uma suspeita séria, caberia ao presidente pedir que a procuradora Loretta Linch investigasse a história, abrindo um inquérito contra o republicano. Em última instância, Trump não poderia assumir antes de uma investigação rigorosa. Obama não seguiu estes trâmites pois não quer ter o mesmo resultado que a recontagem no Wyoming, um dos estados-chave. Após a segunda verificação, foi constatada uma vitória ainda maior para Trump (o que sugere que Hillary perdeu roubando). 

Atenção: é de extrema importância observar estes fenômenos jornalísticos nos Estados Unidos. Facebook, Google e Twitter já se uniram aos principais veículos da imprensa para "barrar as fake news", que para eles foram decisivas para a derrota de Hillary. A questão é: nenhum deles sabe apontar quais são as mentiras contadas pelos veículos independentes nas eleições. Trata-se aqui de mais uma tentativa de censura, que já começa a ter reflexos no Brasil: recentemente, o BuzzFeed BR listou as principais notícias falsas compartilhadas no período do impeachment. E lá estava uma notícia verdadeira do Sul Connection. Não é demais lembrar que quem financiará as tais agências de checagem americanas será o nefasto George Soros. Não há que se confiar nesta gente. Outra coisa importante: a CNN e o New York Times são as principais fontes da imprensa brasileira na cobertura dos Estados Unidos. Isso explica muita coisa.
                                                                                                                                          
Colabore com o blog. Faça a sua assinatura ou doe para O Reacionário 

ass
btn_donateCC_LG (1)
[left-sidebar]










Tecnologia do Blogger.