Ads Top

O que estas fotos significam? Que quem usa isso como argumento não passa de golpista


As fotos de Sérgio Moro na premiação da revista IstoÉ tem servido como argumento político pela extrema-esquerda. Seria a prova da “tucanice” de Moro. De nossa parte, é bom deixar de rodeios e falar sobre o significado dessas fotos e sobre o que representam. Que é absolutamente nada. 

Essa é a segunda foto que entra para os anais da política como prova de suposta aliança entre agentes políticos (sim, Moro é um agente político se considerarmos que a política do PT é o crime e a política de Moro é combater essa prática). A primeira foi a foto em que membros do Movimento Brasil Livre, Vem Pra Rua e Revoltados Online aparecem ao lado do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha de outros parlamentares. Foi tirada no dia em que os movimentos protocolaram um pedido de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff. Algum gênio político da extrema-esquerda viu ali uma possibilidade de golpe, e soube emplacar essa falácia como hit por várias temporadas. 

Mas é razoável dizer que este novo hit não fará sucesso, já que repete algo que já perdeu o efeito. Não é diferente da tão ensaiada volta o Emo. Aqueles seres estão presos no passado, e qualquer um que forçar aquilo irá passar vergonha. É o mesmo com fotos que provam suposta cumplicidade ou aliança entre agentes políticos. Esse argumento não cola mais, e deve ficar restrito aos círculos mais profundos da extrema-esquerda. 

Essa gente que cita a foto como argumento usa isso para provar que este é o motivo de Aécio ainda não ter sido preso, omitindo do debate que o caso do tucano é tratado pelo Supremo. E o faz quando o mais coerente seria clamar a inocência de Aécio, já que os próprios dizem que a Lava Jato é uma empreitada golpista. Se é golpista, Aécio não deveria ser investigado também, pelo contrário: deveriam dizer que ele e outros tantos enrolados na Operação (Cunha, Renan, Alckmin, Serra e Cabral) são todos vítimas de Moro. E não cúmplices.

Bom, eles não acertam estes pontos porque estão mais preocupados com o conteúdo do que com a forma. O que importa é reforçar uma narrativa com mentiras fabricadas em escala industrial. Aquela outra foto dos líderes de movimentos democráticos com Cunha não passava de um registro do momento, já que Cunha era o presidente da Câmara. Se o PT fosse mais competente para eleger Arlindo Chinaglia, quem estaria na foto era o petista. E eles sabem disso. 

Em última instância o que é necessário saber sobre esta foto, ou melhor, sobre seu uso, é que não passa de mais um estelionato intelectual de quem mente tanto quanto respira. Não é necessário dizer muito, apenas que estes estelionatários e prostitutas ideológicas estão fazendo tudo de caso pensado. Na semana passada, Moro esteve no Senado com ferrenhos críticos da Operação Lava Jato, como Roberto Requião (que já acusou a Operação Lava Jato de beirar o nazismo) e Renan Calheiros (dispensa maiores comentários). Moro foi até lá para expor seu ponto de vista contrário ao projeto de abuso de autoridade que é relatado por Requião e defendido por Renan. E adivinhem só? Moro foi cortes com os senadores, que foram quase todos gentis com o juiz federal. O único que ficou meio bolado foi Lindbergh Farias, como se vê na foto abaixo.


Na real, o que ocorre aqui é que essa gente que tira sua moral do esgoto só sabe mesmo fazer política na lama. Qualquer coisa que Moro fizer será criminalizada, até ser gentil e educado em ambientes sociais. O que talvez deva ser respondido pelo juiz é que não é feio ser amigável com personalidades quando você está em um grupo que será premiado, e isso mesmo se houvesse algum petista no grupo (o que é quase improvável, já que não se tratava de uma premiação em honra aos maiores criminosos do ano). 

Moro deveria vir a público esclarecer que não é feio ser amistoso com políticos que foram eleitos (incluindo Temer, eleito por eles). Ruim é tirar foto com carniceiros, como é o caso de Nicolás Maduro, Fidel Castro e outros psicopatas que fazem esses militantes molharem a calcinha. Não devemos esquecer que esses tipos são psicopatas. Como tal, eles sabem que quem é honesto não deseja se associar a corruptos, e por isso tentam constranger seus adversários com isso. “MBL aliado de Cunha” virou “Moro amigo de Aécio”. Querem usar os nossos valores para nos constranger, pois somos diferentes deles. São eles que se aliam com qualquer tipo de escroque, desde Maluf, Jader, Renan e Cunha até bandidos menores da Favela Pantanal (o grupo que sequestrou Celso Daniel agia naquela comunidade). Mas não passarão, porque este golpe já é conhecido na praça.

                                                                                                                                          
Colabore com o blog. Faça a sua assinatura ou doe para O Reacionário 

ass
btn_donateCC_LG (1)

Tecnologia do Blogger.