Ads Top

O fim do governo Temer só depende de Dilma Rousseff





Dilma Rousseff disse duas coisas importantes nas últimas horas: de que Michel Temer é um "presidente decorativo", que não tem condições de governar. Para a czarina destronada, a única saída para o Brasil é a eleição direta para a presidência da República. A segunda coisa manifestação veio por meio de sua defesa, que considerou absurda a ação da Polícia Federal nas gráficas VTPB, Focal e Red Seg. As empresas prestaram serviços para a chapa Dilma/Temer na campanha de 2014. A polícia desconfia que tudo não passou de fraude, de lavagem de dinheiro. 

Dilma fala das eleições, mas não comenta o sublime fato de que tudo está em suas mãos. Até então, Dilma tem negado todas as acusações e indícios de fraudes em sua campanha. E isso legitima Temer. Se ela quiser de fato que se façam novas eleições, basta entregar para a PF e TSE tudo o que sabe sobre os crimes eleitorais da chapa. 

O cálculo é simples e visível a olho nu: a gritante impopularidade do presidente se deve ao fato de que ele foi sócio do plano criminoso de poder. As pessoas vêem em Temer uma Dilma com neurônios. É óbvio que ele vai aparecer em mais delações, que seu nome está envolvido na lama do petismo. Se fosse o contrário, não teria sido chamado para ser vice de Dilma em duas formações de chapa. 

Se ela conta o que sabe, admitindo os crimes eleitorais e lavagem de dinheiro, Temer cai. A chapa Dilma/Temer será cassada e o presidente vampiresco será destronado. O presidente da Câmara assume por noventa dias e se marcam novas eleições. Mas vejam bem: serão eleições indiretas. Diretas só em 2018. 

Ainda assim, está tudo nas mãos de Dilma. Qualquer pessoa mais sensata já teria procurado a Justiça para cooperar. Afinal de contas, foram praticados crimes graves da qual a petista não pode se omitir. Se ela não disser nada, a polícia descobre e usa os fatos contra a criminosa. E ela irá para o cárcere. A única saída então é delatar o presidente e ex-comparsa. Mas é claro, Dilma não fará isso. Se ela admitir os crimes eleitorais para ferrar Temer, irá admitir que sua narrativa do golpe não passa de um dos inúmeros estelionatos praticados pelo petismo. Irá admitir também que a golpista da história é ela e seus asseclas. Por mais burra que seja, Dilma não fará isso. 
                                                                                                                                          
Colabore com o blog. Faça a sua assinatura ou doe para O Reacionário 

ass


btn_donateCC_LG (1)
[left-sidebar]





Tecnologia do Blogger.