Ads Top

Ao receberem Boulos, Padilha e Temer escarram nos brasileiros





Mais cedo, soubemos que o senhor Guilherme Boulos se encontrou às escondidas com o ministro chefe da Casa Civil Eliseu Padilha. O chefão do MTST pediu que a reunião não fosse documentada por fotos ou vídeo, e Padilha aceitou. Uma vergonha, já que o pedido contraria as normas de transparência do ministério.

Isso tudo é um escândalo. Está tudo errado.

Que Boulos é um canalha, não há dúvidas. Pediu para encobrir a reunião alegando diferenças ideológicas com o governo, mas a verdade é que ele não quer que suas fotos com Padilha mostrem ao público quem ele é: um parasita da coisa pública. A questão que se coloca aqui é que Boulos representa a escória, e que sua presença no governo emporcalha nossas instituições. 

Em primeiro lugar, transparência é coisa séria. É inadmissível que se encontre sem registro com quem quer que seja. Imaginem a reunião de um ministro com um empresário ou com uma das lideranças de movimentos pró-impeachment. Seria o escândalo. Mas o ministro Padilha não vê problemas em se encontrar com um líder de movimento que é acusado pelo Ministério Público de usar critérios políticos para direcionar recursos do Minha Casa Minha Vida Entidades.

Pelo visto, a imprensa mainstream também vê isso com naturalidade. Hoje mesmo a Folha estava comentando horrorizada o fato de um líder do Vem Pra Rua ter sido promovido em seu cargo, ignorando o fato dele ser funcionário de carreira. Mas em se tratando de Boulos, que é colunista da Folha... Bem, isso não é notícia.

O governo claudicante de Michel Temer acha que deve fazer acenos aos bárbaros, que pode ter paz se fazer concessões a escória. Isso não é só uma percepção burra, já que eles jamais irão dar trégua.

Pior do que a cretinice do governo é a falta de sensibilidade. Padilha está convidando uma ratazana para o governo, um ser andrajoso que chamou o povo de golpista. Padilha e o governo Temer estão trocando gentilezas com um ser abjeto que se manteve leal ao plano criminoso de poder até os últimos instantes, um traidor que desejou o triunfo da agenda totalitária do petismo. Isso é uma afronta. Gente como Boulos deveria ser execrada da vida pública, e quando muito ir para a cadeia pelos vários crimes cometidos. Mas não: Padilha e Temer premiam um terrorista convidando ele ao governo como se fosse uma personalidade.

Isso é uma vergonha. Padilha e Temer ofendem o povo brasileiro. Tratar de repasses de verbas públicas com Guilherme Boulos é o mesmo que escarrar na cara do povo brasileiro. Ainda mais depois da ideologia defendida por Boulos ter sido defenestrada nas ruas e nas urnas.

Melhorem senhores. Melhorem. 
______________________________

Alguns leitores ficaram descrentes com o encontro de Padilha com Boulos - e com toda a razão. Chegaram a especular que talvez fosse uma informação falsa. Infelizmente não é, como pode ser lido na Agenda Oficial do Ministério da Casa Civil (link aqui). Nunca duvidem da estupidez humana.


Tecnologia do Blogger.