Ads Top

A fala que Dallagnol nunca disse é mais uma fraude de quem é golpista por natureza


Rodrigo Félix Leal/Futura Press/Estadão Conteúdo


Sim, quem acusou o procurador Deltan Dallagnol de “ter convicção sobre a culpa de Lula, mesmo sem provas” mentiu. Quem espalhou isso mentiu. O que provavelmente não será encontrado é quem foi o primeiro autor da mentira, já que estamos falando das águas profundas da internet. O autor do pecado original sairá ileso.

Esse modus operandi é bem conhecido. O golpe da desqualificação já foi feito antes. Quando o senado iria decidir pelo afastamento da ex-presidente Dilma Rousseff no dia 09 de agosto, o blogueiros paranaense Esmael Morais escreveu: “O senado vota hoje o fim do 13º salário, não o impeachment de Dilma”. Ao cabo daquela longa sessão, 59 dos senadores decidiram prosseguir com a análise do pedido de impeachment protocolado por Janaina Paschoal, Hélio Bicudo e Miguel Reale. Para analisar se de fato a presidente havia cometido crimes de responsabilidade, a maioria optou pelo afastamento temporário. No dia seguinte, o blogueiros Esmael escreveu: “Por 59 votos a 21, Senado aprova fim das férias,do 13º salário e privatizações”.

Notem a sutileza do golpe retórico: Esmael atrela uma acusação de crime de responsabilidade ao combate a supostos direitos trabalhistas que nem sequer são de autoria do governo petista. Não vou entrar no mérito histórico ou econômico da CLT e da legislação trabalhista engendrada pelo fascista Getúlio Vargas. O que se coloca aqui é que os petistas tentam se colocar como herdeiros do ditador e de seu legado. Como se fosse Dilma ou Lula os criadores da CLT.

A rotulagem tentou diminuir as responsabilidades de Dilma no estelionato eleitoral e na fraude das contas públicas. Mais: por meio de um reducionismo cínico e imoral, Esmael tentou ali vender a seguinte tese: só é contra o governo Dilma Rousseff quem é contra os direitos trabalhistas, logo ela só defende o impeachment quem é contra os trabalhadores e seus direitos. No dia seguinte, o golpe continuou com ainda mais ousadia. O blogueiros escreveu que “os senadores haviam aprovado o fim de férias, 13º salário e privatizações”. “Malandramente”, Esmael colocou recortes de outras notícias ao se referir ao impeachment. “Malandramente”, o embuste foi replicado no Brasil 247, onde o blogueiros é colunista.

Quem acompanha O Reacionário sabe que o Brasil 247 é mantido por Leonardo Attuch, o jornalista dos dedos sujos que já foi panfleteiro de Daniel Dantas. Já até brigou e foi processado por Paulo Henrique Amorim, que o acusava na época de agir para os grandes especuladores. Daniel Dantas caiu em desgraça e Attuch correu para o colo amigo do petismo. Se lambuzou tanto que foi até parar na Lava Jato. Mas isso é outra história. O caso aqui é que Esmael Morais (que também recebia verba de publicidade no governo petista), conseguiu emplacar seu golpe com grande êxito.

Imaginem só: um cidadão que não conhece o caráter de certos veículos está verificando o seu feed quando vê uma notícia de um site pretensamente sério falando que “foi aprovado o fim das férias, 13º e privatizações”, e que isso foi votado em conjunto com o afastamento temporário de Dilma? O indivíduo acredita. Eu mesmo fui perguntado por um conhecido a respeito, um homem simples e honesto que soube da notícia e veio me consultar. “Mas é possível isso?”. Quando ele me mostrou a “fonte”, não tive dúvidas. Só deu tempo de gritar “Não vai ter golpe!”. Esclareci sobre as mentiras dos petistas, relembrando outros exemplos mais conhecidos. O sujeito saiu aliviado pela manutenção de alguns direitos que lhe são impostos pelo governo e descontados do próprio salário. E horrorizado quando soube que haviam pessoas pagas para espalhar boatos por uma quadrilha que usava fachada de partido.

O pobre homem nem desconfia, mas o partido que governou o país durante os últimos treze anos foi especialista em espalhar mentiras, mentiras que de tão repetidas se tornaram verdades para uma maioria de incautos. Não é falta de esclarecimento, não é burrice ou ignorância: é método. Ontem em específico, o que houve foi uma fraude. O PT não mente por desconhecer os princípios da lei, da economia ou da boa administração. O PT e sua seita mentem pois isso faz parte de sua natureza criminosa. Ontem por exemplo, manipularam falas de Deltan Dallagnol e Roberson Pozzobom. É claro que o golpe seria desmascarado mais cedo ou mais tarde, mas em se tratando da possibilidade de praticar estelionato, o PT sempre vê o copo meio cheio. O PT transformou a máxima de Goebbels em clichê. 

Ontem por acaso, vimos o Sensacionalista compartilhando vários textos em que ironizava a frase “Não temos provas, mas temos convicção”. Humor é uma coisa importante, e não deve ser demonizado. Mas se observa que neste caso, nunca se esclarece o leitor quando o caso é desmentido. Verdade seja dita, o próprio Sensacionalista já havia publicado textos muito engraçados sobre a Lava Jato mais cedo (como Lula se comparando a JK porque o PT roubou 50 anos em 5). Mas se observa que neste caso, nunca se esclarece o leitor quando o caso é desmentido. Mas é bom esclarecer: o proprietário do Sensacionalista é o jornalista Marcelo Zorzanelli. Até bem pouco tempo atrás, ele escrevia para o Diário do Centro do Mundo. Até o mês de Junho de 2016, para ser mais exato. Lá ele escreve coisas curiosas, como chamar manifestantes de fascistas, ironiza os batedores de panela e diz que “o paulistano não decepciona nunca”. Os textos dele podem ser lidos aqui. E ainda defende Dilma e a esquerda com unhas, dentes, paus e pedras. É verdade que o Sensacionalista ironiza todo mundo, mas também é verdade que a maioria dos textos possui um humor enviesado que pretende mais defender uma agenda política. Quando a isso, temos fartas provas e uma firme convicção. Assim como devemos ter a convicção de que qualquer um que espalhar essa afirmação sobre a fala de Dallagnol deve ser encarado e desmascarado como o falsário que é.


Tecnologia do Blogger.